Cianorte é modelo no Brasil na coleta e destinação de lixo

 lixo

O assunto vem a propósito. É que termina neste fim de semana o prazo para que os municípios brasileiros acabem com os lixões a céu aberto, cumprindo a meta estabelecida em 2010 pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). No Paraná, muitas cidades não conseguirão cumprir com o prazo, mas ainda assim, há motivos para se comemorar. É que de 65% a 70% dos municípios do estado cumpriram ou estão perto de conseguir cumprir com a lei, enquanto no Brasil apenas 39,5% das cidades contam com destinação adequada dos resíduos sólidos.

Um problema que Cianorte vem resolvendo ao longo do tempo. A começar pelo aterro sanitário concebido para vida útil a perder de vista. Resultado de parceria entre a prefeitura e a Sanepar ele foi o ponto inicial para transformar a cidade em um modelo na coleta e destinação adequada do lixo.

Empresa terceirizada da Sanepar tem um cronograma para coletar o lixo orgânico e o lixo reciclável por toda a cidade. Além disto, a Secretaria de Meio Ambiente de Cianorte criou programas específicos para destinar corretamente restos de construção, lixo eletrônico e até o resultado de podas de árvores.

De acordo com a bióloga Cristiane Marchini Rocco Bernardi, que responde pela Divisão do Meio Ambiente, o problema é que pequena parcela da população ainda não tem a consciência sobre a destinação do lixo. “Jogam em qualquer lugar, o que nos obriga a ações complementares para corrigir o problema”, destaca.

Algumas associações de moradores, com suporte da prefeitura, executam periodicamente mutirão de coleta de lixo. Neste caso, a grande preocupação é com materiais que acumulam água e venham a favorecer a proliferação do mosquito transmissor da dengue. “Se cada cidadão fizesse a sua parte corretamente, com certeza teríamos quase zero de dengue no município”, observa o secretário municipal do Meio Ambiente, engenheiro agrônomo José Ícaro Monteiro Maranhão, acrescentando – “ A prefeitura mantém toda uma estrutura para destinar adequadamente cada tipo de lixo. Basta apenas toda a comunidade colaborar”.

 

Aterro sanitário – Cianorte foi a primeira cidade do Paraná a contar com um aterro sanitário com abrangência regional. O objetivo foi possibilitar que pequenas cidades circunvizinhas pudessem dar uma destinação correta do seu lixo. Isto se deu através da criação de consórcio intermunicipal. Pagando uma taxa de acordo com o lixo que produzem, essas cidades usufruem de toda a estrutura do aterro sanitário. Entre os municípios que aderiram o consórcio faz alguns anos estão Terra Boa e São Tomé.

Texto: Paulo Tertulino / Foto ilustrativa

Compartilhe: