Tecidoteca da UEM em Cianorte é referência no Brasil

uem-moda01Um dos projetos do curso de Moda da Universidade Estadual de Maringá (UEM) que tem mais visibilidade é a Tecidoteca. O projeto de extensão existe desde 2009 e é mantido por três alunos (foto), três professores e uma bibliotecária. Cada trio de alunos fica no projeto pelo período de um ano. As atividades são em parceria com o curso de Engenharia Têxtil, do campus de Goioerê. Os alunos fazem em laboratório análises mais amplas dos tecidos como lavagem, encolhimento, gramatura, densidade, entre outros aspectos de diferenciação entre os tipos de tecidos. Essas análises são feitas dentro das normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Com isso, a ficha técnica que é comum ter poucas informações geralmente no mercado, tem diversas especificações no projeto cianortense. O que já atraiu interesse de uma universidade da Bahia, outra de São Paulo e de empresas de Cianorte. “Há outros interessados que estamos agendando visitas para conhecer o projeto”, comentou o professor Ronaldo Vasques.

Participam atualmente da Tecidoteca os alunos Rodrigo Pereira, 18 anos, que é de Alvorada do Sul (PR) e está no segundo ano; Linda Lara Meneotte, 19 anos, de Guaíra (PR), e está no terceiro ano; e Bianca Fuentes, 20 anos, que é de Colorado (PR) e também está no terceiro ano. A Tecidoteca é aberta ao público para visitação das 9 horas às 17h30, no campus da UEM, em Cianorte. Há planejamento para levar a Tecidoteca para escolas de Cianorte e região.

MERCADO – O jornal Folha de Cianorte publicou no começo desse mês uma reportagem mostrando como o curso de Moda da UEM está em sintonia com o mercado de trabalho, dando condições aos alunos estarem empregados ainda no primeiro ano do curso. Enquanto é comum em cursos de Moda em outras cidades os alunos não conseguirem trabalhar no segmento mesmo após se formarem. Leia a reportagem na íntegra.

Texto: Andye Iore e Juliano Secolo / Fotos: Andye Iore

uem-moda04

Compartilhe: