Suspeito de assassinato diz estar arrependido

luciano03

O suspeito de ter matado o cianortense Douglas Messias no último final de semana se mostrou arrependido.
Luciano Aparecido Bombarda (foto), 30 anos, foi apresentado para a imprensa na manhã de hoje (5) na 21ª SubDivisão de Polícia Civil de Cianorte.

Ele falou pouco, mas já teve tempo de se arrepender em apenas quatro dias preso.
Caso condenado por latrocínio – roubo seguido de morte – ele pode pegar entre 20 e 30 anos de prisão. “Arrependido eu tô [sic], mas agora é tarde”, disse o suspeito em voz baixa durante a apresentação.

Ele entrou numa das salas da delegacia com algemas nos pulsos e nos tornozelos. Estava com roupa limpa, bermuda deixando à mostra tatuagens na perna direita, cabelo cortado com efeitos gráficos e passou a maior parte do tempo de cabeça baixa.

Logo após a apresentação ele ficou com lágrimas nos olhos e, num choro contido, pediu para falar com o delegado chefe Adão Wagner Rodrigues.

A polícia tenta localizar a arma usada para matar Douglas Messias. Apesar de ter assumido o crime, o detido ainda não revelou onde deixou o revolver. Ele informou que está com uma pessoa em Cianorte, mas não anunciou nome nem local.

luciano01

CRIME – Douglas Messias foi morto a tiros na avenida Pará após reagir a um assalto. O ladrão roubou o telefone celular de um amigo e Messias decidiu correr atrás do assaltante para recuperar o aparelho quando foi baleado duas vezes e morreu no hospital em seguida. Ele tinha 23 anos. Esse foi o primeiro homicídio do ano em Cianorte. No ano passado foram cinco assassinatos e apenas um não foi solucionado até agora.

PENA – Casos de homicídio rendem pena entre seis e 20 anos de detenção caso seja o réu seja condenado. Já o latrocínio – roubo seguido de morte – é um crime hediondo e está citado no artigo 157 do Código Penal Brasileiro (CPB). A pena em caso de condenação é entre 20 e 30 anos de prisão.

Texto e fotos: Andye Iore

luciano02

Compartilhe: