Usuários da Defensoria Pública de Cianorte têm livros à disposição

defensoria-siteA Defensoria Pública em Cianorte, no Noroeste do Paraná, inaugurou na terça-feira (18) o Espaço Carolina Maria de Jesus, em homenagem à escritora mineira cuja vida e obra é inspiradora. O evento contou com a presença do defensor público-geral do Estado, Sérgio Parigot de Souza, do ouvidor-geral da Defensoria, Gerson da Silva, e dos defensores públicos de Cianorte e Maringá. Com o intuito de promover a difusão e a conscientização dos direitos humanos e da cidadania, o espaço – que contará com livros diversos, cartilhas e outros materiais para leitura e empréstimo – ficará disponível para ser utilizado pelos usuários dos serviços da Defensoria Pública.

Após a cerimônia de abertura, ocorreram bate-papos sobre temas ligados à Defensoria Pública, tais como o “Acesso à Justiça: a atuação da Defensoria Pública”, com os defensores públicos Pietra Carolina Previate e Thiago Magalhães Machado; “Considerações sobre Maria Carolina de Jesus” e “Violência doméstica contra a mulher”, com a professora da Universidade Estadual de Maringá (UEM) Marivânia Conceição Araújo; “Juventude periférica”, com o representante do Coletivo Yalodê-badá Daniara Thomaz Fernandes Martins; entre outras atividades, incluindo uma apresentação de dança com a bailarina Izadora Machado.

Estiveram presentes no evento diversas autoridades, entre elas a primeira dama do município, Fátima Bongiorno, a secretária de Educação, Maria Neuza Casassa, o secretário do Trabalho, Justiça e Direitos Humanos, Sidnei Souza, a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Lucélia Guimarães Gelfei, o capitão da PM Cláudio Roberto Longo Silva, João Francisco Freire Neto, membro do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente e conselheiro tutelar de Sarandi-PR, Joana Cardoso Conçales de Vicente, coordenadora de estágio e professora do Departamento de Direito da Unipar, e o vereador eleito Victor Hugo Davanço.  Em Cianorte, a Defensoria atende de segunda a sexta-feira, das 12h às 17h.

HOMENAGEADA

Carolina Maria de Jesus foi uma escritora mineira, negra e pobre. Mesmo morando em uma favela, ela conseguiu mostrar o poder da educação no processo de empoderamento dos sujeitos, de denunciar as mazelas que os cercam e, consequentemente, lutar para a transformação na direção de novas possibilidades de vida.

Texto e foto: Assessoria DPPR

Compartilhe: