Cianortense coleciona mais de mil latinhas

latinhasO funcionário público Diego Faciroli tem um hobby que parece raro, mas não é: colecionar latinhas. Na internet dezenas de páginas mostram que esta mania é mais comum do que se imagina. O colecionador de Cianorte diz que pelo que sabe, apenas ele coleciona na cidade. Por isto, até o momento ele se associou a oito grupos – três nacionais e cinco estrangeiros, de países como Espanha, Uruguai e Chile. “Minha coleção é eclética. Eu me interesso por latinhas de cerveja, refrigerantes, energéticos e o que mais aparecer”, conta o colecionador que tem mais de mil unidades na coleção.

Faciroli começou a colecionar em 1990. Ele ressalta que nem todos os colecionadores tratam isto como hobby. Muitos fazem disto um negócio. Isto quando você consegue uma lata rara no mercado. É o caso de série limitada como a produzida pela Coca-Cola. “Pelo que sabemos existem apenas quatro latas no mundo, cada uma avaliada em R$ 2,9 mil”, diz.

O colecionador local explica que existe diversos perfis de colecionadores. “Uns colecionam apenas latinhas de cervejas, outros só de refrigerantes e ainda aqueles de uma marca específica”, cita. “Nos Estados Unidos, por exemplo, a grande onda é latinha de energético”.

Como ele não tem isto como negócio, a sua coleção é mantida na base da troca, o que exige organização. “A gente mantém contatos pelas redes sociais e mostra o nosso acervo. Se tenho um exemplar que interessa para o amigo e ele tem um exemplar que me interessa trocamos”, explica.

Essa transação, segundo Faciroli, transcorre na base da confiança. “Afinal ele está mandando para mim e eu para ele pelo Correio. É preciso confiar”. O colecionador cianortense assegura que até hoje não teve qualquer problema com a troca de latas.

Texto: Paulo Tertulino / Foto: acervo pessoal

Compartilhe: