Cianorte iguala o numero de assassinatos de 2015

 

adao14Ainda falta sete meses para acabar o ano, mas Cianorte já igualou o mesmo numero de assassinatos de todo 2015 (confira box abaixo). Com a morte do empresário Fabiano da Silva Ribeiro, de 29 anos de idade, na noite da última quarta-feira (11), já são cinco assassinatos em 2016.

A vítima conhecida como “Abobrão” levou 11 tiros no bar de sua propriedade na avenida Paraíba. Os dois suspeitos praticaram o crime e fugiram em seguida numa motocicleta Honda Twister, de cor preta. A polícia ainda não localizou os assassinos. “Já temos um suspeito e estamos investigando para esclarecer esse crime”, comentou o delegado chefe da 21ª Subdivisão de Polícia Civil, Adão Wagner Loureiro Rodrigues (foto).

Ele informa que indícios de ligação com o tráfico de drogas e relação com o segundo assassinato na cidade no dia 19 de março . A vítima tinha passagens pela polícia.

“Abobrão” chegou a ser atendido ainda com vida pelo Samu no local, mas não resistiu aos ferimentos e morreu em seguida. A Polícia Civil coletou as cápsulas que ficaram pelo chão e vai consultar os sistemas de monitoramento por câmeras de empresas vizinhas para verificar se o crime foi gravado.

CASOS – Em 2015 Cianorte registrou cinco assassinatos e apenas um não foi solucionado até agora pela polícia. Já das cinco mortes desse ano, a solução de quatro ainda estão em aberto.

A Polícia Civil informa que tem suspeitos dos quatro casos, conforme informações conseguidas nos interrogatórios. Dois deles teriam ligação com o tráfico de drogas e um outro teria o envolvimento de um adolescente.

Confira os cinco assassinatos em 2016:
PRIMEIRO – no final de janeiro um homem de 23 anos foi morto com um tiro durante um assalto. O suspeito do latrocínio está preso;
SEGUNDO – dia 19 de março, um homem de 23 anos de idade foi morto com um tiro numa lanchonete na avenida Paraíba. O autor ainda não foi identificado;
TERCEIRO – dia 28 de abril, uma mulher de 34 anos foi assassinada com um tiro na cabeça. O crime teria ligação com tráfico de drogas;
QUARTO – dia 1º de maio, um homem de 22 anos foi morto a facadas;
QUINTO – dia 11 de maio, homem 29 anos é morto com 11 tiros num bar na avenida Paraíba.

Ofícios cobram abertura de vagas no Cense

Tanto o delegado, Adão Wagner Rodrigues, como a Câmara de Vereadores de Cianorte, enviarão ofícios cobrando a abertura de vagas para adolescentes apreendidos em Cianorte no Centro Socioeducativo de Maringá (Cense).
maioridadeTambém serão contatados a Secretaria de Estado de Segurança Pública, o Ministério Público e o deputado estadual Jonas Guimarães para ajudarem a resolver o problema.

Inclusive com um pedido para a construção de um Cense em Cianorte, já que tem sido comum a reincidência de adolescentes em crimes cada vez mais graves, como a Folha de Cianorte publicou na semana passada. “Eu acho muito válida essa medida porque isso não tem a ver com o judiciário e nem com o Ministério Público”, disse a juíza da Vara de Família, Marília Mitie Yoshida.

Ela informou que em 2016 nenhum adolescente infrator de Cianorte foi integrado ao Cense maringaense, apesar de quase toda semana ela julga medida socioeducativa de adolescente apreendido em Cianorte e fazer o encaminhamento.

O deputado Jonas Guimarães está mobilizado junto ao governo estadual em Curitiba, para encontrar solução para o caso, já que o político cianortense intermediou várias melhorias para a Segurança em Cianorte nos últimos anos. “Vou tentar contribuir. Mas esse é um problema que acontece em todo o Brasil. Não tem vaga em todo o sistema e isso está piorando com o envolvimento dos jovens com drogas”, lamentou Guimarães, que aguarda receber o ofício em seu gabinete em Curitiba.

MAIORIDADE – Em julho do ano passado a Folha de Cianorte abordou o problema depois que a a Câmara dos Deputados Federais aprovou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC). O que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos para crimes hediondos, lesão corporal seguida de morte e homicídio doloso.

O jornal cianortense entrevistou o delegado da Polícia Civil, Adão Wagner Loureiro Rodrigues, a juíza da Vara de Família, Marília Mitie Yoshida, e o major da Polícia Militar, José da Silva Neto, que deram suas opiniões diferentes sobre o polêmico tema. Em 2014, dos nove assassinatos em Cianorte, um foi cometido por um adolescente.

Texto e fotos: Andye Iore/Folha de Cianorte
Foto da juíza Marilia Mitie: Arquivo Folha de Cianorte

Compartilhe: