Workshop discute trabalho infantil e o papel da Rede de Proteção

Os profissionais que atuam com a criança e o adolescente em Cianorte estiveram reunidos durante essa quinta-feira (14), no auditório da Associação Comercial e Empresarial (ACIC), para participar do workshop ‘Trabalho infantil e o papel da Rede de Proteção’. O evento propôs a discussão de técnicas e políticas para combater o problema e a realização da articulação intersetorial para a criação de protocolos e fluxos de atendimentos.

Para a secretária de Assistência Social, Marlene Benalia Bataglia, a iniciativa contribuiu para o enfrentamento e a prevenção do trabalho infantil. “Somente nos organizando, conseguiremos identificar, encaminhar e combater esse tipo de situação”, relatou. Segundo ela, um diagnóstico recente, apontou um número pequeno de casos no município. “Apesar da notícia animadora, ainda temos situações de exploração que precisam ser combatidas”, completou.

“Estamos preocupados em eliminar esse tipo de ocorrência, tendo em vista que o trabalho infantil inibe o desenvolvimento integral das nossas crianças e adolescentes, ocasionando prejuízos físicos e psicológicos”, salientou o prefeito Bongiorno, ainda reforçando a importância do acesso à educação, ao lazer e ao esporte. “A Prefeitura oferece toda a estrutura para que esses direitos sejam garantidos mas, para isso, eles precisam ser identificados e esse encontro auxilia nesse sentido”, disse.

“Lugar de criança é brincando e estudando. O único trabalho que adolescente pode ter é como Jovem Aprendiz, que é aceito hoje no nosso país. Através desse programa de aprendizagem, os jovens se tornam capacitados para o mercado profissional”, enfatizou a chefe do Escritório Regional da Secretaria da Família, Lucélia Guimarães Gelfei. “É preciso dar a oportunidade ao adolescente que está ocioso, precisa das coisas, quer pertencer ao grupo e precisa de dinheiro. Agora criança não se discute. Não pode trabalhar”, finalizou o chefe da Secretaria do Trabalho, Sidnei Rodrigues de Souza.

Além de debates, o workshop organizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social, contou com a palestra de Marly Correia Faria Bavia, assistente social especialista em Gestão de Políticas Sociais com Centralidade na Família, que abordou desde a conceituação de trabalho infantil até as metodologias de atuação para coibí-lo. A oportunidade também contoucom a participação dos usuários atendidos pelo CAPS i que executaram a canção ‘Criança não trabalha’.

Também participaram do evento a secretária municipal de Educação e Cultura, Maria Neuza Casassa; a chefe do Núcleo Regional de Educação, Yolanda Cristina Rodrigues Oliveira; e o assessor do procurador do trabalho Dr. André Vinicios Melate, Luiz Carlos Alves. (Fonte: ASCOM PMC)

Compartilhe: