Vídeo mostra homem abordando mulher, que depois foi estuprada

As imagens da câmera de segurança mostram o momento em que um homem aborda uma jovem de 20 anos na cidade de Japurá, por volta das 22h do último dia 12 de janeiro. O homem, que teve sua identidade preservada em virtude da gravidade do caso, tem 26 anos e já conta com uma passagem anterior pelo crime de estupro de vulnerável (contra uma criança), praticado há aproximadamente 2 anos. Mesmo assim, ele estava em liberdade após cumprido um tempo de prisão.

A abordagem ocorreu no centro da cidade e o homem inicialmente rouba o celular da jovem, alegando estar armado e ameaçando a vítima. Em dado momento, ele chega até mesmo a mostrar a arma para ela e pressionou o cano do revólver contra seu corpo.

Após essa abordagem, o suspeito a obriga a andar de mãos dadas com ele, como se fossem namorados, para não chamar a atenção de possíveis transeuntes. Em seguida, a jovem foi arrastada para um loteamento vazio, onde o acusado consumou o ato de violência sexual.

Segundo a vítima, do momento da abordagem até a sua liberação, foram aproximadamente duas horas em poder do criminoso. O ato do estupro durou pouco tempo, mas o homem exigiu da vítima que ela contasse até 200 para que houvesse tempo para ele fugir do local sem ser abordado ou pego.

O registro da ocorrência foi feito na Delegacia da Mulher de Cianorte e, logo em seguida, as investigações se iniciaram com o objetivo de localizar o criminoso. Num trabalho conjunto com a polícia militar de Japurá, foram feitas diligências e já na madrugada de terça feira (14/1), um homem foi identificado e fotografado. Por não haver provas suficientes sobre a autoria do crime, ele foi liberado.

No dia seguinte (15/1), este mesmo indivíduo foi preso em Cianorte em flagrante por ter cometido o furto de um celular, juntamente com um comparsa da cidade de São Tomé.

Com o homem preso, as investigações continuaram e, na quinta feira (16), foi solicitado o mandado de prisão preventiva do acusado pelo crime cometido em Japurá.

Em depoimento dado delegado de Cianorte, Carlos Gabriel Stecca, o acusado nega que tenha praticado o crime, mas todas as provas apontam para ele. Uma delas, a principal, foi o reconhecimento da vítima que, ao ver o acusado, ficou extremamente abalada emocionalmente.

Fonte: O Bem Dito

Compartilhe: