Usina Hidrelétrica do Baixo Iguaçu opera com força total

A partir desta quarta-feira (10), a Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu já pode produzir energia com força total. A operação comercial da terceira e última unidade geradora do empreendimento foi liberada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em despacho publicado no Diário Oficial da União.

A usina recebeu R$ 2,4 bilhões em investimentos e conta com três grupos geradores que somam 350 megawatts (MW) de potência instalada – o suficiente para atender mais de um milhão de pessoas. A usina fica no trecho final do Rio Iguaçu, entre os municípios de Capanema e Capitão Leônidas Marques, no sudoeste do Paraná.

O EMPREENDIMENTO

A Copel detém 30% de participação na Usina Baixo Iguaçu, que é o último aproveitamento energético do principal rio paranaense, onde já existiam outras cinco hidrelétricas de grande porte: Governador Bento Munhoz da Rocha Netto (Foz do Areia), Governador Ney Braga (Segredo), Governador José Richa (Salto Caxias) estas três pertencentes à Copel, além de Salto Osório e Salto Santiago.

As obras de instalação de Baixo Iguaçu começaram em 2013 e, no pico, chegaram a contar com mais de três mil trabalhadores. Os municípios de Capanema e Capitão Leônidas Marques foram beneficiados com o aumento na arrecadação de impostos e geração de empregos durante a construção. Agora, com o início da produção de energia, a usina passa a pagar também uma compensação financeira pelo uso dos recursos hídricos, aumentando a receita das prefeituras.

Uma barragem erguida no leito do Rio Iguaçu permitiu a formação de um reservatório que tem apenas 31,6 km² de superfície – considerado bastante pequeno em comparação com outras hidrelétricas do mesmo porte, operando “a fio d?água”, o que significa que não terá a função de acumular grande volume hídrico para regularizar a vazão do rio.

A casa de força – onde ficam os grupos de turbinas e geradores – é do tipo abrigada e fica no município de Capanema, na margem esquerda do rio. Um conjunto composto por subestação e linha de transmissão também foi construído para conectar a usina ao Sistema Interligado Nacional, escoando energia através da subestação Cascavel Oeste. A usina também foi conectada à subestação Realeza Sul, através da linha de transmissão construída pela Copel.

MAIS INVESTIMENTOS

A Copel deve iniciar ainda este ano a instalação de mais um empreendimento de geração de energia no sudoeste do Paraná: a Pequena Central Hidrelétrica Bela Vista, que terá 29 MW de potência e deve absorver quase R$ 200 milhões em investimentos.

O empreendimento está previsto para o Rio Chopim, com barragem localizada entre os municípios de Verê e São João. A Companhia aguarda a emissão das licenças ambientais para iniciar as obras. O projeto prevê também a instalação de uma subestação elevadora e uma linha de transmissão na tensão de 138 kV com aproximadamente 18 km de extensão para conectar a PCH à subestação Dois Vizinhos.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: