Unidades penais de Maringá passam por reformas e ampliações

As obras nas unidades penais de Maringá foram concluídas e entregues na última quarta-feira (09), em solenidade com a presença do secretário estadual da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares. Foram investidos R$ 2,2 milhões para revitalização, ampliação e melhorias na Penitenciária Estadual de Maringá, na Colônia Penal e Industrial e na Casa de Custódia – todas concentradas em um único endereço.

Reparos nos telhados, substituição de portas e torneiras e a pintura geral externa e interna de todas as galerias, estão entre as melhorias.

O secretário Marinho destacou que o apoio para iniciar as obras foi imediato, devido a condição estrutural que os prédios se encontravam. “A Secretaria recebeu o projeto, prontamente foi atrás do orçamento e empregou recursos. Agora entregaremos uma nova estrutura mais moderna e que pode permitir que os agentes e demais profissionais possam trabalhar de maneira mais digna”, disse.

As reformas se deram por conta da natural deterioração das estruturas pela ação do tempo. Foram revitalizados espaços e alojamentos dos presos, muros e guaritas, telas de proteção e acabamento (pintura interna e externa). Houve ainda revisão elétrica e hidráulica dos prédios, para evitar acidentes.

De acordo com o Depen, foram feitos cinco contratos de obras, e todas receberam apoio de engenheiros da Paraná Edificações, da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas. Somente na Casa de Custódia de Maringá, o investimento foi de R$ 1 milhão. Já na Colônia Penal e Industrial o valor foi de R$ 802,29 mil e na Penitenciária R$ 381,54 mil.

“Reformas nas estruturas de nossas unidades são fundamentais, pois além de elevar os níveis de segurança e a capacidade operacional diante de uma rotina intensa e ininterrupta, melhora as condições de trabalho dos policiais penais, garantindo-lhes mais qualidade de vida e resultados mais efetivos no cumprimento da missão”, disse coordenador da Regional de Maringá do Depen, Luciano Brito.

“Essas obras vão contribuir para que os presos estudem e trabalhem, esse é o caminho que temos para diminuir a reincidência”, diretor da CPIM, Osvaldo Messias Machado.

OBRAS

Na Penitenciária Estadual de Maringá (PEM), as obras comtemplaram toda revitalização da muralha e guaritas externas, desde a estrutura predial, rede elétrica e cobertura de 17 guaritas, reforma, impermeabilização e pintura de todas as caixas de água; cobertura de todos os corredores da penitenciaria; reformas e impermeabilização dos banheiros de todas as celas. “Esses investimentos significam um importante reforço na segurança e melhoria na estrutura predial da PEM, em funcionamento há 25 anos”, explicou o diretor da Penitenciária, Sérgio Donizete da Silva.

Já na Colônia Penal e Industrial de Maringá (CPIM), as obras possibilitaram adequação de todos os alojamentos, que ganharam ventilação natural cruzada com elementos vazados em concreto feitos na própria unidade, o que confere aos espaços comuns melhor condição sanitária e de salubridade.

Todas as janelas dos alojamentos que eram de vidros foram trocadas por travessões de concreto que dão mais segurança de permitem circulação do ar. Foi feita revisão elétrica, estrutural e hidráulica de todos os alojamentos da unidade, além da pintura interna e externa.

A Casa de Custódia de Maringá (CCM), foi a unidade que teve o maior número de obras comuns de engenharia. Na parte de rede elétrica, foi feita a reparação da iluminação interna e externa, para garantir economia de energia elétrica e contribuir para a vigilância, corrigindo falhas em quadros de energia para evitar panes e quedas de eletricidade.

Também houve a substituição de refletores deteriorados e obsoletos, por refletores de LED, luminárias e lâmpadas, a substituição de fiação elétrica, instalação de eletrodutos, proteções com policarbonato e revisão de quadros e disjuntores, tudo dentro dos parâmetros técnicos e conforme as normas da construção civil.

“Os investimentos realizados na Casa de Custódia de Maringá demonstram a preocupação do Governo do Estado com a Segurança Penitenciária e garantem melhores condições de trabalho ao servidor penal, além de estabelecer novas perspectivas no complexo processo de cumprimento e execução das penas impostas pelo Poder Judiciário”, afirmou o Diretor da CCM, João Victor Toshiaki Ferreira Fujimoto.

Para evitar a entrada de materiais ilícitos arremessadas da área externa, foi feita a substituição completa das telas de alambrado “Além disso, as estruturas instaladas, amplamente reforçadas, ainda são capazes de coibir eventuais tentativas de fugas, considerando os materiais utilizados e o formato da sustentação”, completou Luciano Brito.

PRESENÇAS

Também participaram do evento o comandante do 3º Comando Regional da PM de Maringá, coronel Carlos Alberto Rodrigues Assunção; o comandante do 4º Batalhão da PM de Maringá, tenente-coronel Marcio Antonio dos Santos; o diretor das unidades prisionais do Depen em Maringá, Sergio Donizete da Silva; o delegado chefe da 9º Subdivisão da Polícia Civil de Maringá, Adão Wagner Loureiro Rodrigues; o representante do Conselho da Comunidade de Maringá, Helena Maria Ramos dos Santos; o Coordenador Regional dos Complexos Sociais, Everton Augusto dos Santos, além de diretores do Depen. Também participaram policiais federais, guardas prisionais e demais servidores que acompanharam o evento à distância.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse