UEM atendeu e orientou 20 mil pessoas sobre a COVID-19 em duas divisas do Estado

Pelo menos 20 mil pessoas foram abordadas em duas divisas do Paraná, desde abril. Além de orientação, uma equipe composta por nove profissionais da saúde, entre enfermeiras e técnicas de enfermagem, está monitorando os motoristas que entram no Estado do Paraná para evitar a disseminação da Covid-19. O trabalho faz parte do projeto “UEM no combate ao coronavírus”.

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) é responsável pela orientação dos motoristas, que acontece de segunda a sábado, das 8 às 20 horas, em dois pontos: Santo Inácio (divisa com o Estado de São Paulo) e em Diamante do Norte (divisa com Mato Grosso). A ação é uma parceria da Universidade com a Secretaria de Saúde do Estado do Paraná (Sesa), Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) e a Polícia Rodoviária Estadual. A polícia faz a abordagem e as equipes de saúde orientam e fazem as testagens para a COVID-19 em quem apresenta sintomas.

No mês de julho, também teve o início o trabalho de vacinação contra a influenza e o sarampo para os caminhoneiros. A vacina da gripe foi liberada para motoristas de caminhão de qualquer idade. Já a de sarampo pode ser aplicada nesses profissionais entre 29 e 49 anos. Pelo menos 100 deles receberam as vacinas durante este mês. Além disso, começou a ser feita a medição de pressão arterial e glicemia.

O coordenador do projeto das divisas do Paraná, pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), Osvaldo Tchaikovsky Junior, informa que o objetivo é atender um público que, muitas vezes, não tem tempo de ir a uma unidade básica de saúde para tomar uma vacina ou realizar um atendimento preventivo. “Muitos motoristas não têm esta oportunidade e são estes que queremos atender”.

Para Ederley Alkamim, diretor da 15ª Regional de Saúde, este projeto é fundamental para combater a Covid-19 no Estado, “fazendo este monitoramento junto aos motoristas já na entrada do Paraná”. Para Ana Paula Moser, coordenadora da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), “a ação demonstra a preocupação com a saúde dos caminhoneiros e dos profissionais que estão trabalhando nas estradas”.

UEM NO COMBATE AO CORONAVÍRUS

A UEM está envolvida nesta ação desde abril. No princípio, a população era apenas orientada. Com o recebimento de termômetros e oxímetros, no dia 29 de junho, os motoristas passaram a ter a temperatura verificada e o nível de oxigênio no sangue medido. “Aqueles que apresentaram sintomas da Covid-19 há mais de 7 dias são levados a fazer o teste rápido. Já tivemos pacientes positivos neste trabalho nas divisas. Fizemos o encaminhamento para o posto de atendimento mais próximo”, informa a enfermeira Greicy Cezar do Amaral, que representa a 15ª Regional de Saúde.

A farmacêutica Bruna Gasparino é bolsista do projeto e acredita que, para os caminhoneiros, principalmente, esta ação está sendo muito importante. “Eles não podem parar, viajam constantemente e, muitas vezes, não têm acesso nem tempo para se cuidar, tomar vacinas e cuidar de sua saúde como um todo”.

A enfermeira Valéria Cristiani Pereira está trabalhando na divisa de Diamante do Norte, há três meses, e informa que tem sido gratificante. “Cada orientação que fazemos representa alguém que temos a oportunidade de ajudar”.

O projeto “UEM no combate ao coronavírus” é financiado pela Fundação Araucária de Apoio ao desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná (FA) em parceria com a Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Atua nos municípios da 15ª Regional de Saúde (Maringá), 12ª Regional de Saúde (Cianorte), 13ª Regional de Saúde (Umuarama) e 22ª Regional de Saúde (Ivaiporã).

“O grande objetivo é desenvolver ações de prevenção, cuidados e combate à pandemia do novo coronavírus. Além do trabalho nas divisas, enfermeiras foram distribuídas em pontos estratégicos das regionais envolvidas, UPAs e hospitais, para fazer as testagens e também orientar e informar. Alunos da UEM estão atuando em equipes de telemedicina, serviço ofertado pelo Governo do Estado. Folders explicativos sobre este trabalho e como participar estão sendo distribuídos nas divisas. E ainda há um ação de educação permanente com profissionais da saúde, que está sendo realizada em diversas cidades , principalmente, nas menores. O objetivo é levar informação atualizada sobre o tratamento de suspeitos da Covid-19 e a utilização de equipamentos de segurança”, explicou a pró-reitora de Extensão e Cultura da UEM, Débora de Mello Sant’ Ana.

Fonte: Ana Paula Machado Velho – Assessoria de Comunicação Social da Universidade Estadual de Maringá

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse