Rural Sustentável abre chamada para produtores do PR

projeto

Produtores de dez municípios paranaenses podem se candidatar a receber apoio técnico e financeiro em tecnologias agropecuárias sustentáveis. O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a Embaixada Britânica e o Banco do Brasil lançaram ontem (6) a segunda chamada de propostas para produtores e técnicos rurais de 70 municípios do País que queiram oferecer suas propriedades como Unidades Demonstrativas (UDs) no Projeto Rural Sustentável.

No Paraná podem participar produtores de Bandeirantes, Primeiro de Maio, Paranavaí, Nova Londrina, Dois Vizinhos, Itapejara D’Oeste, Renascença, Realeza, Francisco Beltrão e Verê.

São US$ 26 milhões que estarão disponíveis para sete estados. Os recursos serão destinados ao apoio financeiro para produtores rurais, agentes de assistência técnica, realização de treinamentos e também para gestão e monitoramento do empreendimento.

O projeto é uma agenda positiva que alinha combate à pobreza rural, transferência de tecnologias agropecuárias de baixo carbono e conservação de solos e florestas junto a pequenos e médios produtores rurais da Amazônia e Mata Atlântica.

A iniciativa deve beneficiar mais de 3.500 pequenas e médias propriedades nos biomas Amazônia e Mata Atlântica em Rondônia, Mato Grosso, Pará, Bahia, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul por meio do financiamento por resultado.

A partir do projeto, espera-se que ocorra uma melhoria no acesso ao crédito rural oficial (Programa ABC, Pronaf, Pronamp) de agricultores que desejam reduzir as emissões de carbono, ampliar a sustentabilidade e a gestão das florestas em suas propriedades.

COMO FUNCIONA – Os produtores receberão apoio técnico e financeiro para adotar tecnologias agropecuárias com baixa emissão de carbono e promover a restauração florestal e premiação pela adoção de práticas sustentáveis e tecnologias de agricultura com baixa emissão de carbono, além de apoio financeiro para assistência técnica.

O projeto também promove qualificação e transferência de conhecimentos como maneira de melhorar a capacidade técnica de produtores para adotar essas medidas. Para viabilizar o projeto, dois atores são fundamentais, os agentes de assistência técnica nas tecnologias de baixo carbono e os produtores interessados.

Para participar, os interessados devem: fazer parte dos biomas, estados e municípios contemplados.

Estar classificado como unidade de produção familiar rural, população tradicional, assentados da reforma agrária, pessoa física ou jurídica representante do público beneficiado como associações e cooperativas.

Ter posse legal da propriedade rural com até quinze módulos fiscais como proprietário, locatário, inquilino, parceiro, franqueado do Plano Nacional de Reforma Agrária (PNRA). O prazo para a submissão de propostas técnicas vai até 19 de agosto de 2016.

Texto e foto: AE-PR

Compartilhe: