QUALIDADE DE VIDA PARA TODAS AS IDADES

A Odontologia adota como nomenclatura mais apropriada o termo Odontogeriatria para a especialidade que se concentra no estudo dos fenômenos decorrentes do envelhecimento que também têm repercussão na boca e suas estruturas associadas, bem como a promoção de saúde, o diagnóstico, a prevenção e o tratamento de enfermidades bucais e do sistema estomatognático do idoso.

Infelizmente, é muito comum nos dias atuais encontrarmos pacientes da terceira idade com muitas perdas de dentes, e, consequentemente, é comum o uso de próteses para repor esses dentes. Sabendo disso a odontologia cria soluções para que o idoso tenha uma melhor qualidade de vida.

Os problemas bucais serão bastante diminuídos com atitudes simples, como escovar com um creme dental que contenha flúor após cada refeição, usar fio dental todos os dias e ir ao dentista a cada 6 meses.

Os usuários de dentadura (prótese total) devem seguir as instruções do Cirurgião Dentista e, caso ocorra qualquer problema, não devem tentar soluções caseiras. Mesmo quem usa dentadura deve fazer um exame bucal geral pelo menos uma vez por ano. É importante verificar sempre se não há lesões na boca e caso ocorram marque imediatamente uma consulta, pois elas podem evoluir para problemas muito graves.

A sensibilidade se agrava com a idade, e com o passar do tempo é normal haver retração gengival que expõe áreas do dente que não estão protegidas pelo esmalte dental. Se seus dentes estiverem muito sensíveis, alguns tratamentos podem ser indicados. Se o problema persistir, consulte-nos já que esta sensibilidade pode indicar a existência de um problema mais sério, como, por exemplo, cárie ou dente fraturado.

A gengivite é outro problema comum, que requer cuidado especial, pois apesar de reversível nos primeiros estágios, se não cuidada a tempo pode levar a perda de dentes, especialmente pelos portadores de doenças sistêmicas, como a diabete, enfermidades cardíacas e câncer.

Quando for ao dentista, converse com ele sobre quaisquer problemas de saúde existente, e também sobre o que você espera do tratamento, dessa forma ele terá uma visão completa da situação, podendo ajudar você de forma mais específica e eficiente.

A população de idosos no Brasil e no mundo tem crescido em ritmo acelerado. O cirurgião dentista deve estar atento a esse fato e ampliar seus conhecimentos na área da odontogeriatria para proporcionar um tratamento correto, eficaz e com o máximo de conforto ao paciente idoso, visto que o atendimento a esses indivíduos requer mais atenção no momento de se estabelecer o diagnóstico, bem como na execução do tratamento.

Banner Edplants, Acesse