Projeto “UEM no combate ao coronavírus” é encerrado oficialmente

 

Duas reuniões promovidas pelo reitor Júlio Damasceno marcaram o encerramento oficial do projeto “UEM no combate ao coronavírus”. A ação, que durou onze meses, foi financiada pela Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná (FA), em parceria com a Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). O projeto atendeu aos municípios da 15ª Regional de Saúde (Maringá), 12ª Regional de Saúde (Umuarama), 13ª Regional de Saúde (Cianorte) e 22ª Regional de Saúde (Ivaiporã).

A primeira visita de encerramento foi à 15ª Regional. Damasceno foi recebido pelo diretor Ederlei Alckamin. Estava acompanhado do chefe de Gabinete, Alessandro Santos da Rocha; da pró-reitora de Extensão e Cultura, Débora de Mello Gonçales Sant’ Ana; e o diretor de Extensão da Universidade, Breno Ferraz de Oliveira. O reitor agradeceu a parceria e salientou que “o Projeto foi marcante para a história da UEM. Inclusive, faz parte da revista que marca os 50 anos da Universidade”.

Ederlei também agradeceu a parceria. “Quero continuar contando com a UEM para futuras ações de enfrentamento à pandemia e em outras frentes de trabalho”.

IML

A segunda visita de Júlio Damasceno foi ao Instituto Médico Legal (IML), de Maringá. O reitor, o chefe de Gabinete, a professora Débora e o professor do Departamento de Odontologia (DOD/UEM), Luiz Fernando Lolli, se reuniram com o chefe da Polícia Científica, Luis Gustavo Toledo Zulai, a chefe-adjunta da mesma área, Jaqueline de Moura da Silva, e a odonto-legista Larissa Barros Costa. Juntos avaliaram os benefícios deixados pelo Projeto no IML, que contou com dois bolsistas, durante os últimos cinco meses: o enfermeiro Luciano Souza Geraldo e a biomédica Izadora Bispo (foto acima).

Para eles, a experiência foi única. “Conhecer os procedimentos, lidar com as pessoas que chegam aqui… eu sempre quis conhecer mais de perto a parte de perícia e, agora, quero seguir carreira”, disse Izadora. Já Luciano contou que o crescimento foi muito grande, já que o bolsista é valorizado e parte muito atuante em todos os processos. “O aprendizado foi diário”, reforçou o enfermeiro.

Luis Gustavo Zulai salientou que o vínculo UEM e IML precisa continuar. “Temos muitas necessidades e acredito que a Universidade pode nos auxiliar muito. Podemos ter uma troca bastante produtiva”.

O reitor da UEM também enfatizou a importância da parceria ter continuidade. “Aqui, no IML, temos uma oportunidade fantástica e todas as condições: de um lado o Instituo bem estruturado e, de outro, a UEM com os laboratórios, alunos e professores. A Universidade também precisa desta troca. Vejo um futuro promissor”.

PRÓXIMOS PASSOS

Devido à grandiosidade do projeto “UEM no combate ao coronavírus” e à proporção que tomou no cenário da pandemia, a luta, agora, é para que ações continuem em algumas frentes. “Nossa luta, neste momento, é garantir continuidade. O trabalho que foi feito junto aos pequenos municípios e dentro do IML não pode parar. A pandemia também não acabou”, salienta Júlio Damasceno.

Para que o trabalho continue entre IML e UEM, um Núcleo de Estudos Forenses foi criado. “Este será nosso ponto de integração. São muitos interessados e com conhecimento, dentro da Universidade, que podem contribuir”, comentou o professor Luiz Fernando Lolli. Segundo o docente do DOD, pelo menos 18 áreas já estão envolvidas nas negociações – entrem elas, odontologia, medicina, estatística, informática, psicologia, física – todas com o objetivo de contribuir nos trabalhos do Instituto Médico Legal.

EXTENSÃO

O futuro das ações de combate à Covid-19 também está sendo desenhado com a 15ª Regional de Saúde. Essas atividades serão formalizadas por meio de um novo edital, desenvolvido diretamente pela Sesa.

“Com a publicação da edição do Caderno de Extensão Sebastião, que traz o resumo geral das atividades do Projeto, e as duas visitas realizadas, marcamos o encerramento da participação da UEM na Chamada Emergencial da Fundação Araucária para o Enfrentamento ao Coronavírus. Nosso papel foi cumprido e a continuidade da assistência ao paciente continuará por meio das secretarias municipais e da Secretaria Estadual de Saúde”, comemorou a pró-reitora de Extensão e Cultura, Débora Sant’ Ana.

A gestora ainda destacou que outras ações de extensão para o enfrentamento à pandemia continuam na UEM. A participação no atendimento do programa de telemedicina é uma delas. A iniciativa acontece por meio do aplicativo Saúde On-line Paraná, coordenada pela professora Viviane Meirelles, do Departamento de Enfermagem. Além disso, uma equipe coordenada pela professora Daniele Cristina Tita Granzotto, do Departamento de Estatística, continua no trabalho de desenvolvimento e alimentação de uma plataforma de gerenciamento epidemiológico da Covid-19. “Sem contar com outras atividades de pesquisa e apoio à comunidade, que também continuam sendo implementadas pela Universidade”, concluiu a professora Débora.

Fonte: Ana Paula Machado Velho – Assessoria de Comunicação Social da Universidade Estadual de Maringá

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse