Prefeitura realiza lives com apresentações artísticas e movimenta setor cultural

 

Uma jornada de arte e cultura on-line para o cotidiano desta pandemia foi a proposta do Festival Arte e Cultura Aldir Blanc In Live de Cianorte. O evento foi realizado entre os dias 24 e 27 de novembro, pela Prefeitura, por meio da Divisão de Cultura da Secretaria Municipal de Educação. A iniciativa contou com recursos da Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural (Lei Federal nº 14.017). Ao todo, a mostra beneficiou mais de 270 artistas e seis espaços culturais do município, em aproximadamente 60 projetos, com o montante de R$ 502.000,00.

O edital selecionou 25 propostas nos segmentos de música, dança, teatro/circo e contação de histórias, que fizeram apresentações com transmissão ao vivo (live) para o festival. Os demais, contemplaram as categorias de música, dança, teatro, circo, contação de histórias, cultura negra, literatura, acessibilidade, grafite, hip hop, artesanato, artes visuais, artes plásticas e fotografia, que vão executar 31 projetos pelo município.

O Projeto Ciarte foi quem fez a abertura da primeira noite, que ainda contou com as apresentações de Gil Alves; Marcos Ferrari; Marcelo Zanon e Gustavo Cabelo. No dia 25 foi a vez do Acústico Pearl Pigs, com Paulo Ferro; Samba & Soul, com Jaque Tonetto; Voz do Povo, com Rafael Ferreira Goulart; Pop Rock Nacional, com Adalberto Ferro; MPB Anos 80, com Paula Pires; e Cover Legião Urbana, com Renan Batera. Na terceira noite foi a vez da arte circense e contação de histórias com os espetáculos, Fala Que Eu Te Ouvo, de Everton Silva; Pode Ser Que Não Seja, com Nilson Reis; O Vazio da Saudade, com Edna Cristina; e O Eterno, com Sandra San. E na dia 27, encerrando o festival, foi a vez dos espetáculos de dança, com Todo Corpo Dança, por Laura Brito; Ballet Clássico, por Igor Sabaine; Holding, com Tayna Samara e Laura Brito; Danças Urbanas, por Victor Volpato; Yoga, com Lu Estela; Ballet Baby Classs, com Larissa Bartmanovicz; Ballet e Jazz, com Jaque Pietra; História do Hip-Hop, com Kebra; Mundo Diferente, por Thays Pires; e Composição de Coreografia, por Ariel Coelho.

No domingo (29), foi a vez da 11ª edição do Festival de Violeiros, que, em virtude da pandemia, também foi realizado por meio de live. Ao todo, foram 20 apresentações, sendo 12 na categoria solo e oito duplas, que concorreram para premiação de 1º ao 5º lugar. A abertura contou com apresentações do Projeto Ciarte e da Orquestra de Viola Caipira. O júri foi composto pelo professor e maestro da Orquestra de Viola Caipira de Cianorte, Adriano Souza Silva; pelo músico e professor, André de Matos Santana; e pelo diretor cultural de Terra Boa, Lucinei Mollina. O resultado do concurso foi divulgado logo após as apresentações, ficando em 1º lugar a cantora Mallu Cavalcanti (Ubiratã-PR), recebendo o prêmio de R$1.500,00; em 2º lugar, Luiz Carlos (Ubiratã-PR), com o prêmio de R$1.000,00; em 3º lugar Kleber e Adilson (Ubiratã), com o prêmio de R$800,00; em 4º lugar, a dupla Zé Ronaldo e Valentin Viola (Londrina-PR), com o prêmio de R$600,00; e em 5º lugar, a dupla Saulo Viola e Tiago Miranda (Moreira Sales-PR e Goioerê-PR), com o prêmio de R$500,00.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Prefeitura Municipal de Cianorte

Banner Edplants, Acesse