Paraná lança programa de atenção às pessoas com autismo

Governadora Cida Borghetti durante solenidade de lançamento do Programa de Atenção ao Autismo, da Secretaria de Estado da Saúde. Voltado às pessoas com autismo e suas famílias, o programa inclui a realização de censo para identificar e conhecer a realidade dos diagnosticados, novas ações e capacitação de equipe, pais e professores. Curitiba, 26/06/2018. Foto: José Fernando Ogura/ANPr

A governadora Cida Borghetti lançou nesta terça-feira (26) o Programa de Atenção ao Autismo voltado às pessoas com autismo e suas famílias. Coordenado pela Secretaria de Estado da Saúde o programa prevê a capacitação internacional dos profissionais da Rede Pública do Paraná, de pais e cuidadores, cadastro da pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) e a realização do censo.

A iniciativa é a primeira do Brasil, que será o 30º país a receber o programa. Curitiba será de pioneira ao servir de piloto para o programa, que será ampliado aos poucos a todos os 399 municípios paranaenses. O objetivo, afirmou a governadora, é ampliar o olhar para pessoas e melhorar a qualidade de vida delas e de seus familiares. “Queremos crianças bem assistidas e que tenham mais oportunidade. Estamos iniciando um projeto de sucesso que possibilitará aos pais e educadores um conhecimento muito maior”, disse Cida.

O secretário da Saúde, Antônio Carlos Nardi, destacou que o objetivo é que nos próximos cinco anos todas as famílias com crianças com autismo entre 2 a 9 anos de idade, sejam impactadas pelo projeto. “Vamos começar com o programa em Curitiba e levá-lo aos demais municípios, gradativamente. Queremos unificar protocolos e uniformizar o atendimento. Aos poucos vamos fazer do Paraná uma referência no tratamento, estimulando e integrando as pessoas com autismo”, disse o secretário. O Programa conta com a parceria da Organização Mundial da Saúde.

Melhorar a vida das pessoas em áreas que elas mais precisam é a grande prioridade do Governo do Estado, disse a governadora. “Nosso modo de governar é olhando para as pessoas de igual maneira e priorizando ações em todos municípios do Paraná, principalmente em localidades que mais precisam da mão do Estado.”

REFERÊNCIA

O Centro Regional de Atendimento Integrado ao Deficiente – Craid, unidade própria do Estado, será o serviço de referência estadual para avaliação, diagnóstico diferencial e intervenção terapêutica das pessoas com TEA e apoio para serviços e profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS).

O programa conta com o apoio da Secretaria de Estado da Saúde no projeto-piloto em Curitiba para a formatação de um modelo próprio e aplicação da metodologia OMS – Autism Speaks.

CAPACITAÇÃO E PROTOCOLO

De acordo com o secretário da Saúde, Antônio Nardi, os profissionais do The Scott Center for Autism Treatment, da Florida Institute of Technology (EUA), vão capacitar e fazer a tutoria para formar multiplicadores. Assim, será possível detectar precocemente o manejo clínico e a condução dos casos, além do acompanhamento das famílias.

Para o diretor do Craid, Lean Fontain Franco, com o Governo do Paraná dando esse apoio será possível ter mais profissionais para tratar as crianças autistas. “De agora em diante vamos ampliar o atendimento com multiprofissionais, temos mais uma psicóloga para dar atenção aos pais, neuropediatra, psiquiatra, oftalmologista, dentista. A nossa farmácia está se transformando em unidade do programa Farmácia do Paraná e teremos um protocolo da medicação para a criança com autismo”, afirmou.

AVANÇO

Para a criadora do Grupo de Apoio às Famílias de Autistas do Paraná, Fernanda Rosa, que é mãe de duas crianças com autismo, esse programa é um avanço que levará um atendimento de qualidade a todos as famílias, principalmente as mais carentes. “As mães extremamente carentes serão muito beneficiadas. A partir desse momento elas vão contar com tratamento de qualidade para seus filhos”, disse Fernanda Rosa.

ATENDIMENTO UNIFORMIZADO

Por meio do curso internacional que capacitará equipes multiprofissionais, pais e cuidadores, será possível um atendimento uniformizado na Rede Pública de Saúde. O investimento do Governo Estadual para a capacitação é de R$ 2, 7 milhões, o que inclui material e professores do centro de referência mundial no tratamento do autismo, o The Scott Center for Autism Treatment, da Florida Institute of Technology.

A analista de comportamento, Amanda Bueno, foi uma das idealizadoras do projeto para trazer a capacitação dos profissionais por meio do curso de Análise do Comportamento Aplicada (Applied Behavioral Analysis – ABA, ao Paraná. Ela disse que a ideia é buscar tratamento efetivo para o autismo e trazer ABA para o Brasil, que se mostrou eficiente para tratar as pessoas com autismo.

Através da ciência a gente consegue dar para o indivíduo o poder de ser independente, essa é a intenção. Quando descobri que o meu projeto, que começou na universidade, poderia ser levado para ajudar as pessoas eu recorri ao governo. Tivemos apoio da governadora ainda antes de ela assumir o cargo”, afirmou. Amanda disse que a ideia é criar um centro de referência de treinamento de profissionais. “Cerca de três mil servidores serão treinados e uma parcela deles treinarão outros. Depois o Paraná será dono da tecnologia, nós faremos uma transferência de tecnologia vitalícia do método ao Estado”, disse Amanda.

O convênio terá a duraçao de dois anos. A formação é voltada a profissionais de saúde (médico, psicólogo, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, enfermeiro, técnico de enfermagem, assistente social, cirurgião-dentista) e gestores do SUS, tutores, professores, cuidadores e pais de pessoas com autismo.

CADASTRO

O programa inclui o cadastro da pessoa com TEA, que norteará as ações e a elaboração de políticas públicas para esta área. O cadastro está disponível no site da Secretaria de Estado da Saúde.

Atualmente são 312 serviços especializados que atendem as pessoas com deficiência intelectual e autismo no Paraná (aproximadamente 300 serviços são Apae).

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: