Paraná já vacinou 88,25% dos profissionais de saúde com a 1ª dose

O Paraná está perto de encerrar a vacinação contra a Covid-19 de um dos grupos prioritários mais populosos previstos no Plano Estadual de Vacinação: os trabalhadores de serviços de saúde. Segundo a estimativa do Programa Nacional de Imunizações (PNI), elaborado pelo Ministério da Saúde para organizar a distribuição das doses de vacinas, são 303.026 profissionais da área no Paraná. Destes, 267.443 já receberam pelo menos a primeira dose – o equivalente a 88,25% do total – até a tarde desta última quinta-feira (25). Já a segunda dose foi aplicada em 129.222 profissionais, correspondendo a 42,64% do total.

A vacinação deste grupo foi a primeira a ser iniciada no Paraná, no dia 18 de janeiro, quando sete trabalhadores do Complexo do Hospital do Trabalhador receberam sua primeira dose de Coronavac. A enfermeira Lucimar Josiane de Oliveira, de 44 anos, foi a primeira pessoa vacinada do Estado.

A vacinação começou com aqueles que estão na linha de frente, mas o grupo dos profissionais da saúde inclui todos os trabalhadores que atuam na área, seja em hospitais, clínicas, ambulatórios ou laboratórios, unidades de pronto atendimento ou unidades básicas de saúde.

Por isso, o grupo abrange não apenas médicos e enfermeiros que tratam diretamente de pacientes infectados pela Covid-19, mas todos os funcionários envolvidos no atendimento da população, como nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontologistas, fonoaudiólogos, psicólogos etc. Além deles, todos os profissionais técnicos e auxiliares, como os dedicados à limpeza, cozinha e segurança também estão incluídos.

Outros grupos prioritários também estão avançados na vacinação: idosos acima de 60 anos institucionalizados (92,35% já receberam a primeira dose e 76,28% ambas), população indígena (87,04% receberam a primeira dose e 74,04% receberam ambas), pessoas acima de 90 anos (64,19% receberam a primeira dose e 52,68% receberam ambas) e entre 80 e 89 anos (92,22% receberam a primeira dose e 15,17% receberam ambas).

Pessoas entre 75 e 79 anos também já apresentam um grau avançado de vacinação: a primeira dose já foi aplicada em 74,1% do grupo. Já os idosos na faixa etária de 70 a 74 anos já vacinados com a primeira dose são 12,23% do total. A segunda dose, nesses grupos, ainda é pequena devido ao intervalo necessário para aplicação das vacinas: elas foram aplicadas, respectivamente, em 0,4% e 0,09% dos grupos.

Todas as informações estão disponíveis no Vacinômetro, nova plataforma online da secretaria estadual de Saúde que mostra em tempo real os dados da vacinação no Paraná.

VACINAS

Fabricada pelo Instituto Butantan e Sinovac, a vacina Coronavac deve ser aplicada em duas doses, com intervalo de 21 dias, para garantir a imunização. Até o momento, esta é a principal vacina recebida pelo Paraná em quantidade: foram 1.305.200 doses enviadas pelo Ministério da Saúde.

A outra vacina aplicada pelo Estado é desenvolvida pela Universidade de Oxford/Astrazeneca, produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Neste caso, as duas doses devem aplicadas com intervalo de 12 semanas – demandando mais tempo para completar a imunização. Foram 195.250 doses do imunizante recebidas pelo Paraná – número que deve aumentar nas próximas semanas graças a um aumento no fluxo de produção pela Fiocruz.

NOVOS GRUPOS

A última distribuição de vacinas pelo Estado, na última segunda-feira (22), enviou 369,65 mil novas doses aos municípios para avançar na vacinação de idosos, ampliando o foco para todas as pessoas acima de 70 anos, além de iniciar a imunização das comunidades quilombolas.

O envio fez parte de uma nova estratégia seguida pelo Paraná por recomendação do Ministério da Saúde. A ideia é utilizar todas as vacinas disponíveis para aplicar a primeira dose e ampliar a base da população já vacinada. Com o aumento da produção de vacinas pelos laboratórios brasileiros, a expectativa é de suprir a demanda da produção da segunda dose dentro do intervalo de tempo de aplicação recomendado pelas fabricantes.

Em vídeo transmitido na última terça-feira (23), em reunião virtual com os secretários de saúde do Paraná, o governador Carlos Massa Ratinho Junior reforçou a importância de acelerar a vacinação no Paraná, utilizando todas as doses disponíveis imediatamente.

“Meu pedido é que vocês se dediquem. Se puderem, vacinem de domingo a domingo, comecem entre 6h e 7h da manhã, para vacinar idosos que têm hábito de acordar mais cedo. Essa estratégia nos ajuda a ganhar velocidade e, tendo mais pessoas vacinadas, possivelmente conseguiremos diminuir ainda mais o número de internações, que são nosso grande problema devido à superlotação por conta dessa nova cepa”, disse o governador.

Com as novas remessas, a expectativa é de ampliar a vacinação para profissionais da educação e da segurança pública, pessoas em situação de rua, pessoas com comorbidades, caminhoneiros e todos os demais grupos do Plano Estadual de Vacinação Contra a Covid-19, que abrange 4.635.123 paranaenses.

MÉDIA 1ª DOSE

A aplicação das primeiras doses da vacina contra a Covid-19 já recebidas pelos municípios paranaenses chegou a 64,5% na manhã desta última quinta-feira (25), totalizando 704.320 doses aplicadas. As cinco cidades com maior média são Marilena (98,6%), Paraíso do Norte (98,1%), Santa Isabel do Ivaí (97%), Farol (96,7%), Terra Rica (94,7%) e Santo Antônio do Caiuá (94,4%).

Os percentuais levam em consideração as 1.091.871 vacinas distribuídas para a aplicação da primeira dose pela Secretaria da Saúde desde o início da imunização dos paranaenses, em janeiro – sendo que 369,65 mil novas doses chegaram aos municípios na última segunda-feira (22). Os dados são do Vacinômetro, nova plataforma da pasta para atualizar o status da imunização do Paraná contra o coronavírus em tempo real.

Dos 399 municípios, 19 haviam aplicado entre 90% e 99,9% das doses recebidas, 26 entre 80% e 89,9% e 73 entre 70% e 79,9%. A maior parte dos municípios figura entre 60% e 69,9% das primeiras doses aplicadas: são 125 cidades nesta faixa, o equivalente a 31% de todo o Estado. Além destes, 88 municípios aplicaram entre 50% e 59,9% das doses, e 60 não chegaram a aplicar metade do que foi recebido.

Outros oito municípios apresentam mais de 100% de aplicação, mas o Vacinômetro aponta inconsistência nos dados recebidos por essas prefeituras.

Das 22 regionais de Saúde do Paraná, a que obtém melhor média geral é a de Paranavaí, que já aplicou 73,1% do total de primeiras doses recebidas. A única outra regional que também já superou os 70% é a de Cascavel, com 72,9% das doses aplicadas.

MAIORES MUNICÍPIOS

Entre as cidades mais populosas do Paraná, que consequentemente recebem mais doses em números absolutos, Francisco Beltrão é a que obtém a melhor percentagem de aplicação, com 76,3% das doses aplicadas. Outras cinco grandes cidades também já aplicaram mais de 70% das doses: Foz do Iguaçu, Araucária, Maringá, Toledo e Cascavel.

Umuarama, Curitiba, Campo Largo, Guarapuava, Ponta Grossa, Campo Mourão, Arapongas, Apucarana e Londrina estão entre 60% e 69,9% das doses aplicadas. Entre 50% e 60% estão Cambé, São José Dos Pinhais, Colombo, Paranaguá e Paranavaí.

SEGUNDA DOSE

A média da aplicação da segunda dose, por sua vez, está em 74,9%. Das 274.160 doses distribuídas, 205.221 já foram aplicadas. Três municípios já utilizaram 100% das vacinas recebidas: Guairaçá, Campo Bonito e Ourizona, e 31 já superam a taxa dos 91% de aplicação. Há números inconsistentes em 17 municípios.

ACELERAÇÃO

O Governo do Estado pediu, nesta semana, a aceleração da vacinação pelos municípios. A estratégia faz parte de uma nova recomendação do Ministério da Saúde, que prevê o uso de todas as vacinas disponíveis para aplicação da primeira dose para aumentar rapidamente a base da população vacinada no Paraná.

Anteriormente, metade das remessas recebidas eram armazenadas durante o intervalo das doses recomendado pelas fabricantes – 21 dias para a Coronavac e três meses para a vacina da Universidade de Oxford/Astrazeneca/Fiocruz.

Além da nova recomendação, o Governo do Estado também pediu aos municípios que usassem todas as doses já recebidas, para de fato ampliar a população imunizada. Atualmente, está em curso a imunização de pessoas acima de 70 anos, profissionais da saúde e quilombolas.

A expectativa da Saúde é vacinar todos os grupos prioritários até maio de 2021. A estimativa da população a ser vacinada nesta etapa é de 4.635.123 de paranaenses.

Confira as vinte cidades com maior percentual de aplicação até esta quinta-feira:

Marilena – 98,6%

Paraíso do Norte – 98,1%

Santa Isabel do Ivaí – 97%

Farol – 96,7%

Terra Rica – 94,7%

Santo Antônio do Caiuá – 94,4%

Fênix – 94,1%

Mangueirinha – 93,8%

São Pedro do Paraná – 93,5%

São João – 92,9%

São João do Caiuá – 92,5%

Coronel Vivida – 92,3%

Nova Aliança do Ivaí – 92,3%

Amapora – 91,9%

Espigão Alto do Iguaçu – 91,5%

Atalaia – 90,8%

Tamarana – 90,7%

Santa Cruz do Monte Castelo – 90,4%

Novo Itacolomi – 90,2%

Leopolis – 89,2%

Confira a média das vinte cidades que mais aplicaram doses em números absolutos:

Curitiba – 69,6%

Londrina – 61,3%

Maringá – 74,6%

Cascavel – 72,9%

Ponta Grossa – 65%

Foz do Iguaçu – 75,2%

São José dos Pinhais – 59,5%

Guarapuava – 65,3%

Toledo – 73,1%

Umuarama – 69,6%

Apucarana – 61,7%

Campo Largo – 66,1%

Arapongas – 61,8%

Colombo – 56,4%

Francisco Beltrão – 76,3%

Araucária – 74,9%

Cambé – 59,7%

Campo Mourão – 62,4%

Paranaguá – 55,1%

Paranavaí – 53,9%.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse