Paraná apresenta ações contra a corrupção em encontro nacional

O resultado abaixo da média obtido pelo Brasil no Índice de Percepção da Corrupção 2019 mostra que o Paraná está no caminho certo ao adotar mecanismos que permitam combater o problema no serviço público estadual. O ranking foi apresentado nesta quinta-feira (23) pela organização Transparência Internacional, que organizou debates sobre o assunto. O controlador-geral do Estado, Raul Siqueira, foi convidado para participar de um dos painéis.

Pelo ranking produzido pela entidade, na escala entre mais corrupto (índice zero) e o menos corrupto (índice 100), o Brasil alcançou 36, o mesmo obtido no levantamento de 2018. Esse resultado coloca o País na 106ª posição entre os 180 avaliados, atrás de países como Uruguai (21ª), Chile (26ª), Argentina (45ª), Cuba (60ª) e Equador (93ª). Nas melhores posições ficaram Dinamarca e Nova Zelândia, com o índice 87, e Finlândia, com 86, e a média ficou no índice 43.

A CGE paranaense passou por capacitação na Dinamarca, no ano passado, e diversas ações anticorrupção já começaram a ser implantadas. “Vamos manter o foco, o trabalho e a determinação para melhorarmos nossa posição nesse importante ranqueamento. O Paraná fará sua parte para melhorar a posição do Brasil”, completou Siqueira.

INOVAÇÃO

Siqueira apontou a implantação do Programa de Integridade e Compliance em todos os órgãos e entidades do Poder Executivo, iniciado no ano passado, como carro-chefe do combate à corrupção no Estado. “Este programa engloba, entre outras atividades, o mapeamento de riscos a atos ilícitos e medidas ou mecanismos de mitigação dessas ameaças à integridade do serviço à população”, explicou o controlador-geral do Paraná.

No debate estavam representantes de outros estados, que também estão adotando medidas de combate à corrupção. O Paraná foi o primeiro estado a implantar, por força de lei, o Programa de Integridade e Compliance, e, segundo o controlador-geral, é visto como referência nesta inovação. Porém, ele ressaltou a qualificação técnica como fundamental para o sucesso do Programa. “A Controladoria-Geral do Estado tem promovido capacitações para formar agentes de controle interno, de transparência e de ouvidoria, além de campanhas de conscientização sobre a participação de cada servidor neste processo”.

DIFERENCIAL

Siqueira explicou aos outros participantes do encontro a importância do comprometimento do servidor, desde o alto escalão. “Percebemos o engajamento do servidor, que demonstrou ansiedade por ver os resultados. Ele sente que faz parte desse processo de construção de uma administração inovadora no trato dos recursos públicos e na proteção dos procedimentos contra interesses escusos”, afirmou o controlador-geral.

Além da movimentação do servidor para o papel ativo no combate à corrupção, Siqueira destacou que um dos resultados esperados com a implantação do Programa de Integridade e Compliance é dar ao Paraná um diferencial competitivo. “A iniciativa privada procura uma entidade em que possa confiar para se relacionar, assim como as pessoas. É isso que buscamos no Estado, pela confiança das empresas atrair mais investimentos e, assim, oferecer um ambiente de desenvolvimento aos paranaenses”.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: