Pandemia exige maior investimento em prevenção de acidentes e segurança do trabalho

Durante o mês de abril, órgãos públicos e instituições engajadas nas questões relativas aos acidentes de trabalho aderem à campanha Abril Verde, uma forma de promover a conscientização sobre a importância da segurança e da saúde do trabalhador brasileiro. O mês foi escolhido porque o dia 28 é dedicado à memória das vítimas de acidentes e de doenças do trabalho. Em 1969, uma explosão de uma mina da cidade de Farmington, na Vírginia, Estados Unidos, matou 78 trabalhadores, caracterizando o episódio como um dos maiores e mais conhecidos acidentes trabalhistas da humanidade.

Por isso, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) apoia a campanha com o objetivo de mobilizar a sociedade para a prevenção das doenças decorrentes do trabalho, bem como valorizar a atividade dos profissionais de Engenharia de Segurança do Trabalho. A iniciativa é ainda mais importante no momento pandêmico. Segundo os Engenheiros de Segurança do Trabalho ouvidos pelo Conselho a pandemia tem deixado trabalhadores exaustos, aumentando, assim, o risco de acidentes.

“Estamos no pior momento da pandemia. As pessoas estão cansadas. No ano passado, algumas pessoas ainda estavam trabalhando de casa. Atualmente, a maioria está realizando as atividades normalmente, mas totalmente esgotada psicologicamente e, o pior, com medo de ser contaminado. Isso diminui o foco do trabalhador, aumentando o risco. A pandemia trouxe malefícios na saúde física e mental”, avalia a Conselheira do Crea-PR e Engenheira de Segurança do Trabalho, Elizandra Sartori.

Apesar disso, a pandemia gerou um hábito que o trabalhador não tinha anteriormente: o uso de equipamentos de proteção individual (EPI). “Esse cenário construiu a conscientização sobre a necessidade desses equipamentos. Infelizmente, algumas pessoas ainda são resistentes quanto ao uso, apesar de obrigatório, mas podemos dizer que a cultura já foi criada e que nada será como antes”, aponta Elizandra. Outro fator positivo foi a valorização do profissional de Engenharia de Segurança do Trabalho. Empresas, hospitais e órgãos públicos, por exemplo, tiveram que elaborar planos de segurança para minimizar riscos e gerar ambientes seguros para os trabalhadores.

Para o Engenheiro Civil e de Segurança do Trabalho, Tiago Pelisson Trento, inspetor do Crea-PR na região de Cianorte, 2020 foi um ano de desafio, muito aprendizado e união. “O maior patrimônio que uma empresa possui são seus colaboradores, então a atenção com a prevenção dos acidentes foi redobrada durante a pandemia. Foram implantadas medidas específicas para combater a Covid-19 na iniciativa público-privada. No período, posso assegurar que o número de acidentes do trabalho na região diminuiu 50%, porque as empresas notaram que a segurança do trabalho é um investimento para manter-se operando com capacidade total e não uma despesa como era vista”, ressalta.

Levantamento realizado pelo Crea-PR comprova o impacto: de 2017 até 2019, o mercado de Engenharia de Segurança do Trabalho vinha numa linha ascendente de emissão de ARTs (Anotação de Responsabilidade Técnica). Em 2018, o crescimento foi de 15% em relação ao ano anterior. No ano seguinte, o aumento registrado foi de 11%. Já em 2020, houve redução no número de ARTs: foram emitidas 18.383 contra 21.858 de 2019. Queda de 15%. Mas na região de Cianorte não houve redução no período, sim aumento – mesmo que tímido. Foram 202 emissões em 2019 e 207 em 2020. Já neste ano, até essa segunda-feira (5), foram emitidas 29 ARTs de serviços nesta área.

A ART identifica de forma legal, objetiva e rastreável, que a obra e/ou serviço foi planejado e executado por profissionais legalmente habilitados pelo Crea, e que cabe exclusivamente a este, ou a estes profissionais, a responsabilidade técnica por ambos. Sobre o Crea-PR

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná, criado no ano de 1934, é uma autarquia responsável pela regulamentação e fiscalização dos profissionais das áreas das engenharias, agronomias e geociências. Além de regulamentar e fiscalizar, o Crea-PR também promove ações de orientação e valorização profissional por meio de termos de fomentos disponibilizados via Editais de Chamamento.

Fonte: Carina Bernardino – Assessora de Imprensa Regional Maringá – Crea/ PR

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse