OUTRA HISTÓRIA PARA CONTAR DO ANO DE 1.963 LIONS CLUB DE CIANORTE

No ano de 1.963, Cianorte iria completar dez anos de fundação. Um grupo de cidadãos apaixonados pela nossa cidade resolveram ampliar as obras sociais da cidade e juntos fundaram o primeiro clube de serviço, em maio de 1.963. Dr. João Reis Neto, advogado, era um cidadão que entendia que reunindo mais cidadãos, boas obras poderiam ser feitas em favor de grupos desassistidos e vulneráveis da cidade. Por influência dele, reuniram-se Washington de Oliveira Telles (Companhia Melhoramentos), Salvador Garcia (Rádio Porta Voz), José Marcelino Lopes (comerciante de produtos elétricos), Jorge Moreira da Silva (comerciante da Loja A Vigorelli), Altivo Rubens Marques (engenheiro da Companhia) e José Cirilo de Paula (comerciante). Prepararam toda a documentação necessária e finalmente, em maio de 1.963, o Governador Distrital do Lions L-6 Dídio Augusto Camargo Viana entregou a estes sócios fundadores a Carta Constitutiva do clube de Cianorte que passou a funcionar a partir daí. Jorge Moreira da Silva, que mais tarde foi Prefeito Municipal foi eleito o primeiro Presidente, em 1.964 e a primeira intenção destes valorosos homens foi fundar um abrigo onde pudessem recolher as pessoas da rua, oferecendo alimentação e o conforto de uma cama, além de se interessarem a buscar um emprego a estas pessoas recolhidas. No ano de 1.965 foi eleito o segundo Presidente do clube José Marcelino Lopes Júnior, idealista desta causa começou a concretizar esta obra que foi inaugurada na gestão do terceiro Presidente da entidade Milton Trigo (gerente de banco) no dia 12 de agosto de 1.966. O Vigário da Paróquia Nossa Senhora de Fátima era o Padre Nelson Prendin (que mais tarde seria Prefeito Municipal de Cianorte) abraçou para si a responsabilidade do término da obra e seu funcionamento, com dez quartos e colocou a Irmã Vicentina Nelsonina Vieira Peixoto para dirigir a casa. Esta sociedade de homens interessados no bem estar de Cianorte foi aumentando e o depoimento de um deles, João Batista Fráguas, gerente de banco, emociona:

“Tornei-me membro do Lions Clube de Cianorte, apresentado pelo companheiro Josuéis Gonçalvez (cartório). Era uma ‘alcatéia’ de leões de vastas jubas. O Jorginho da Vigorelli, o Dr. Antonio Gomes da Silva, Juiz de Direito, o Washington de Oliveira Telles, o João Batista Mafra (Companhia), o Dr. João Reis Neto, advogado, com todas as suas comendas, o José Buzelli (escritório), o Albino Turbay (escritório), o Antonio Lima (Posto Santo Antonio), o Salvador Garcia (Rádio Porta Voz), o Nelson Esperidião (Bradesco), o Jovino da Silva (contador), o Dr. José Furquim de Castro (advogado), o Dr. Omar Simão Chueiri (advogado), o Waine Agostinho (cartório) o Milton Trigo (gerente de banco), o Mário Lopes (comerciante e tantos outros que já não me lembro.”

Nenhum destes homens empreendedores está mais aqui, porém, deixaram a sua marca e não passaram em vão por Cianorte. Cianorte foi-se construindo aos poucos com esforço comum daqueles que amaram e amam a sua cidade. Todos estes esforços anônimos construíram a cidade que amo tanto!

Izaura Aparecida Tomaroli Varella

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse