Ortopedia funcional dos maxilares melhora os problemas respiratórios

Estamos passando esse inverno com o tempo muito seco, onde a umidade do ar cai para menos de 30% – o índice ideal, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, é de 60% -, aumentando a incidência de problemas como alergias respiratórias e viroses. Quando a chuva vem, dá um alívio para a respiração nesta época do ano, que costuma ser mais seca e piorar problemas como asma, bronquite, rinite e sinusite.

Os problemas respiratórios na infância estão cada vez mais freqüentes, sejam eles genéticos, habituais ou viciosos. Porém pouca gente sabe da relação desses problemas, principalmente nas crianças que respiram constantemente pela boca com os problemas ortodônticos, em especial a maloclusão dentária.

A respiração é junto com a mastigação, um dos principais fatores que contribuem para o correto desenvolvimento dos ossos maxilares e conseqüentemente um correto posicionamento dos dentes.

Quando a criança passa a respirar pela boca, várias alterações começam a ocorrer: Passa a manter a boca aberta a maior parte do tempo, a língua passa a ficar mais baixa junto ao assoalho da boca, em contato apenas com os dentes de baixo, a criança, para facilitar a respiração bucal, projeta a cabeça para frente, esticando o pescoço e mudando a postura da coluna cervical.

Essas alterações, junto com a inversão da passagem do ar (o ar passa a entrar e sair pela boca e não pelo nariz) aos poucos vão trazendo alterações para os ossos maxilares, para as arcadas dentárias e para o posicionamento correto dos dentes.

As principais alterações que vemos são: o céu da boca alto e estreito, as mordidas cruzadas (quando os dentes de cima encaixam por dentro e os de baixo por fora) que podem ser uni ou bilaterais, as mordidas abertas (quando os dentes da frente não se tocam, ficando um espaço entre eles), os apinhamentos dentários (pela falta de espaço os dentes ficam amontoados) e as retrusões mandibulares (falta de crescimento da mandíbula, o osso onde ficam os dentes de baixo, deixando um espaço horizontal grande entre os dentes anteriores de cima e os de baixo).

A possível solução destes problemas são os aparelhos ortopédicos que agem sobre a arcada dentária e estruturas craniofaciais atuando em funções vitais como musculares, respiratórias e fonéticas, exercendo estímulos de crescimento ou controle. Esse tratamento é mais indicado para crianças e adolescentes em fase de crescimento.

Dessa forma, a Ortopedia Funcional dos Maxilares pode auxilia além da correção óssea e dentária, os problemas respiratórios que são bastante comuns, principalmente em crianças e adolescentes. O diagnóstico é feito através de uma documentação odontológica que consta de fotografias digitais, análise da face computadorizada, radiografias, modelos de estudo, dados pessoais e anamnese , para assim elaborar um plano de tratamento.

Colaboração: Dr. Wagner Destéfano

Cirurgião Dentista – CRO 10637

Banner Edplants, Acesse