Oficinas culturais do Ciarte atendem mais de 350 pessoas em Cianorte

 

Projeto da Prefeitura teve início neste ano e atende, principalmente, estudantes de escolas municipais e colégios estaduais

Um projeto da Prefeitura está levando diversas expressões culturais para dentro das escolas municipais, colégios estaduais e outros espaços de Cianorte. Iniciado no primeiro semestre deste ano, o Ciarte, da Divisão de Cultura da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, oferece gratuitamente aulas de violão, coral, flauta, percussão, dança, capoeira e circo, para crianças e adolescentes, e de viola caipira, para o público em geral. Os encontros acontecem semanalmente e são guiados por profissionais capacitados em cada área de atuação. Atualmente, 350 pessoas são atendidas pela iniciativa.

“O projeto veio para substituir o Música, Ritmo & Som, que ofertava aulas de instrumentos musicais à comunidade. Decidimos ampliar para também atingir outras manifestações artísticas”, conta a chefe da Divisão de Cultura, Silvana Camargo. Segundo ela, o Ciarte vai muito além de uma atividade para entreter os participantes. “Enxergamos esse projeto de modo profissional. Por meio dele, pretendemos oferecer conhecimentos que permitam o desenvolvimento artístico dos participantes, para que adquiram autonomia e desenvolvam suas próprias criações”, completa.

No Projeto, a Prefeitura investe cerca de R$12,7 mil por mês. “Acreditamos que, além do viés de formação profissional ofertada, que causa impacto econômico na cidade, ele complementa o ensino nas instituições. Prova disso, é que as experiências com as aulas do Ciarte já têm refletido em melhoras na concentração e no aprendizado em sala de aula”, afirma o prefeito Bongiorno. “Investir em cultura para a população significa causar um impacto positivo amplo. Afinal, ela garante inovação e desenvolvimento e favorece a expansão da imaginação e da criatividade”, completa.

A jovem Clara Nicolin, de nove anos, cursa o 4º ano da Escola Municipal Jorge Moreira da Silva e frequenta as aulas de circo ofertadas pelo Ciarte, durante o contraturno. Ela conta sobre o que tem aprendido nos últimos meses com ‘brilho nos olhos’. “Eu ia ao circo e pensava: meu Deus, como eu queria fazer isso! Hoje estou aqui e amo o que aprendo. Faço poio, treino a fita, subo na terceira altura e na segunda, entre outras coisas. Tudo que eu sempre quis. Não perco uma aula por nada. Percebi que, desde que comecei, melhorei meu condicionamento físico e minhas costas não doem mais”, conta.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Prefeitura Municipal de Cianorte

Banner Edplants, Acesse