NÓS TEMOS QUE RETORNAR À VIDA NATURAL!

(Satchidananga)

Você é a essência… Não há o que buscar fora… Tudo está dentro… Caminhe em busca da luz interna, se já cansado de perseguir a felicidade, renuncie a todo tipo de apego, ande na direção do sol. Então, lentamente, olhe para trás, por cima do ombro… A sombra que você perseguia, agora o persegue. O mundo o buscará, se você não buscar o mundo – esse é o segredo! O mundo não é terrível e nem imperfeito… É perfeito!

Você está em processo de fabricação, melhor do que em qualquer grande complexo industrial moderno. Você necessita do sofrimento para conhecer a verdade. Assim como é preciso esquentar o ouro ao máximo e esfriá-lo para que reluza sua pureza, assim todas as pessoas são purificadas pelo calor do sofrimento. Assim é a vida! Aprenda a lição que provém da dor. É advertência acerca de algum erro cometido. Chegando o sofrimento, aceite-o com alegria, agradeça a Deus e à pessoa que o provocou. Dê a boa vinda a esta pessoa, mas não a imite, fazendo sofrer aos demais. Quando você entra em contato com sua natureza divina, nada no mundo pode lhe fazer mal.

Você tem o livre arbítrio para fazer o que deseja. Ao fazer algo apenas para o seu benefício, a consequência recairá sobre você. Esta consequência chama-se Karma. Se tudo é feito corretamente, não há como enfrentar o Karma, pois uma ação livre do egoísmo não o produz. Desligue-se. Todo desejo pessoal é um nó que o aprisiona. Você não tem que renunciar a nada neste mundo, somente seu apego ao mundo. Pode possuir coisas, mas não permita que essas coisas se apossem de você. E não acumule mais do que necessita. Você nunca nasceu e nunca vai morrer. Você não tem idade, somente o corpo tem idade, a alma sabe por si própria que é ilimitada e imortal.

A morte significa mudança de forma, só isso. É inevitável e está acontecendo a cada minuto. Você não é a mesma pessoa que você era há um minuto atrás. Uma parte de você já está morta e uma parte está nascendo! Quando a árvore morre você obtém tábuas, quando as tábuas morrem você consegue uma cadeira, quando a cadeira morre você obtém lenha, quando a lenha morre, você tem as cinzas. Não há morte alguma! O seu corpo é o seu país, cuide tudo o que você ingere, física e mentalmente. Vá ao zoológico e observe os animais. Os carnívoros estão sempre inquietos à procura da presa, mesmo dentro das jaulas. Depois observe os animais vegetarianos, são tão suaves e tão gentis. Eles olham para você e sorriem… Muito do que chamamos civilização é artificial e insalubre!

Nós temos que retornar à vida natural!

Izaura Varella

Pedagoga e Advogada

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse