Morre morador de rua que ficou famoso por causa da ‘vigília’ de cães na porta de um hospital

Morreu em Cianorte o morador de rua que ficou famoso na região após a cena de seis cachorros esperando por ele na porta de um hospital viralizar na internet. O seu Luiz, como era conhecido na cidade, morreu em decorrência de um câncer.

O morador de rua era reconhecido por muitos no município e chamava a atenção porque onde ia levava junto os seis cães que cuidava. Era a imagem da amizade entre o homem e o cachorro.

Tamanha amizade que, em janeiro de 2019, quando seu Luiz sofreu um princípio de AVC e foi internado às pressas num hospital da cidade, os animais foram atrás da ambulância. Por um dia inteiro, todos os cães ficaram na porta do hospital. A foto foi divulgada em sites e redes sociais no mundo todo.

Depois da alta, os cães se reencontraram com o dono e a vida voltou ao normal. Mas, agora, a notícia de que seu Luiz morreu entristeceu muitos conhecidos.

O analista de sistemas Márcio Nolasco, que do prédio onde mora sempre via seu Luiz e os cachorros, diz que Cianorte perde um “anjo da cachorrada” e lembra o dia de vigília na porta do hospital em 2019. “Os cachorros ficaram ali, por 24 horas, até a alta do seu Luiz. Cianorte perde um morador de rua e um dos anjos da ‘cachorrada’, dos animais abandonados da nossa rua. Ele foi uma das únicas pessoas da cidade que teve a hombridade, o carinho e o amor para cuidar dos animais que ficam soltos, muitos deles abandonados pelos próprios donos”, disse.

A jornalista Aida Franco de Lima diz que seu Luiz tinha família, mas preferia morar na rua e era ajudado por muita gente que se solidarizava com a situação.

Aida lembra do dia em que os cães foram para a porta do hospital e ficaram uivando até o reencontro com o dono. Ela se emociona ao falar do seu Luiz. “Essa história repercutiu muito porque demonstrou, mais uma vez, o amor incondicional que os animais têm pelas pessoas. Nesse período de pandemia, eu fiquei me perguntando por onde [seu Luiz] estava, porque não conseguia localizá-lo. Ontem à noite, infelizmente, eu vi a notícia de que ele tinha falecido. Era uma pessoa que tinha um amor incondicional pelos animais”, afirmou Aida, emocionada.

Os cães, com a morte do dono, estão protegidos graças aos protetores de animais que sempre acompanharam essa história.

Fonte: CBN Maringá e GMOnline

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse