Investimento garante nova sede ao consórcio de saúde, em Colorado

O investimento de R$ 774,2 mil do Governo do Estado na nova sede do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Paranapanema (Cisvap), em Colorado, no Noroeste do Paraná, cumpre uma das bandeiras da saúde pública: atendimento perto da casa das pessoas. O aporte de recursos é da Secretaria de Saúde e a previsão é de conclusão ainda neste ano.

O consórcio já percorreu vários prédios, sempre em caráter provisório, e agora ganha uma instalação definitiva e totalmente equipada. O imóvel é da prefeitura, uma antiga Estação do Ofício, e foi cedido por vinte anos para uso exclusivo dos serviços de saúde. O centro médico atenderá pacientes de Jardim Olinda, Paranacity, Lobato, Colorado, Santa Inês, Santo Inácio e Nossa Senhora das Graças.

“O Paraná tem um histórico de atendimento e integração a partir dos consórcios, eles são modelos de cuidados regionalizados e oferta de várias especialidades. O investimento no Cisvap complementa os recursos aportados no Hospital Santa Clara, tornando Colorado um centro médico para essa região do Paranapanema”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “Esse novo espaço vai desafogar o atendimento em Maringá e impedir os sofridos deslocamentos de ambulâncias”.

O local terá quatro consultórios odontológicos, sala de ortopedia/gesso, sala de exames (ultrasonografia e eletrocardiograma) e espaços de atendimento de dermatologia, oftalmologista, gastroentomologia, ginecologista, cardiologista, fisioterapia, fonoaudiologia e psiquiatria. Todos as consultas serão eletivas e as despesas com profissionais e medicamentos serão divididas entre todos os municípios participantes.

O secretário da Saúde, Beto Preto, complementa que as obras ajudam a ampliar o escopo de atendimento especializado na região Noroeste. “Os investimentos nos consórcios são fundamentais porque eles são estratégicos para o Paraná, exemplos de organização em saúde pública no País”, afirma. “Com um consórcio bem estruturado ganhamos em escala de atendimento e na possibilidade de contratações mais baratas. É um investimento que une boas soluções na gestão pública”.

CISVAP

O Cisvap é um dos consórcios intermunicipais mais antigos do Paraná, fundado em 1993. Ele sempre funcionou em prédio alugado. As obras no complexo de 858 metros quadrados começaram em 2 de julho deste ano e a previsão de conclusão é em dezembro. Elas atingiram pouco mais de 3% no começo de agosto.

“O investimento vai melhorar o atendimento, evitar os deslocamentos excessivos. Vamos dobrar o atendimento, partindo de duas mil consultas no mês para, pelo menos, quatro mil. Teremos mais salas, mais equipamentos e profissionais, estamos contratando ginecologistas e psiquiatras, que ainda não tínhamos nos nossos quadros. É um exemplo claro de crescimento”, afirma Daniela Felipe, secretária-executiva do Cisvap.

“Também estávamos com especialidades distintas nas mesmas salas, e agora elas terão seus próprios espaços. Até então marcávamos consulta em uma especialidade para apenas um dia na semana, agora poderemos fazer uma sequência adequada de atendimento”, completa Daniela. “Ainda faremos convênio com o Hospital Santa Clara. Ao invés da pessoa andar 100 quilômetros vai andar 20 ou 30, bem mais perto de casa”.

Juliana Istchuk Bruning de Oliveira, coordenadora do Núcleo de Descentralização do SUS da Secretaria da Saúde, explica que os municípios que pertencem ao Cisvap também participam do Consórcio Público Intermunicipal de Saúde do Setentrião Paranaense (Cisamusep). “Os municípios têm autonomia para entrar e sair, seguindo as normativas de cada consórcio, podendo inclusive fazer parte de mais de um. É uma estratégia de integração. O importante é esse reforço no atendimento na região Noroeste, que precisava de investimento”, afirma.

CONSÓRCIOS

Os consórcios de atendimento têm como meta ampliar a oferta secundária para o Sistema Único de Saúde (SUS) nos municípios. Os pacientes costumam chegar a esses ambulatórios oriundos da atenção primária ou direcionados pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS), geralmente localizadas nos bairros.

O Governo do Estado auxilia os consórcios com R$ 30 milhões em custeio ao longo do ano. A partir de 2021 a expectativa é dobrar o repasse para R$ 60 milhões. Desde 2019 também foram repassados mais de R$ 5 milhões em equipamentos

Os consórcios são iniciativas autônomas das prefeituras, que passaram a se associar para gerir e prover melhores serviços à população. Eles somam os recursos dos municípios integrantes ao montante estadual e conseguem agilizar os atendimentos especializados. Essa estratégia ocupa papel de destaque na política de saúde pública do Paraná.

Os consórcios intermunicipais paranaenses são muito antigos, mais do que a média brasileira, fruto, inclusive, de uma legislação anterior. A lei federal (11.107) é de 2005, enquanto a lei complementar estadual (82) é de 1998. No Paraná são 25 consórcios para atendimentos eletivos, além dos consórcios de Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do Paraná Saúde, especializado em aquisição de medicamentos.

INVESTIMENTOS

Além do Cisvap, o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Ivaí e Região (Cisvir) e o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Oeste (Cisop) recebem investimentos de R$ 6,4 milhões para melhorar o atendimento nas suas regionais. O primeiro será ampliado em Apucarana e o segundo ganhará uma sede nova em Cascavel.

O Governo do Estado autorizou em junho o início das obras de ampliação da sede do Cisvir. O investimento estadual é de R$ 3,3 milhões na obra e em equipamentos, com 5% de contrapartida municipal. O centro de especialidades é a principal estrutura para a oferta de serviços de média complexidade no Vale do Ivaí e atende 18 municípios da região, que somam população de aproximadamente 400 mil pessoas.

O projeto de ampliação prevê a construção de mais um bloco com 1.013 metros quadrados de área, que vai abrigar setores de diagnóstico por imagem, consultórios odontológicos e novos consultórios médicos, além da cobertura da área das ambulâncias. A estrutura com 22 novas salas deve ser entregue em 2021.

A construção da nova sede do Centro de Atendimento Ambulatorial de Especialidades, em Cascavel, envolve investimento de R$ 3,1 milhões. A obra tem cerca de 4,5 mil metros quadrados e o investimento ultrapassa os R$ 6 milhões, com recursos oriundos do governo federal e estadual. Ele terá espaço para consultas, exames e pequenas cirurgias. Cerca de 500 mil pessoas serão impactadas pelo projeto.

LONDRINA

A obra de ampliação do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema (Cismepar) já está finalizada, restando apenas a inauguração. Ele é referência para 21 municípios, abrangendo a população de cerca de 1 milhão de habitantes. Foram mais de R$ 7 milhões na reforma e em equipamentos.

A estimativa é que o atendimento seja ampliado entre 35% a 40%. O imóvel conta com quatro andares, sendo dois subsolos para estacionamento e dois pavimentos para o atendimento da população. A nova edificação concentrará a oferta de consultas com equipe multiprofissional e exames especializados, como tomografia, raio-x, exames cardiológicos, oftalmológicos e mamografia, por exemplo.

ESCOLA TÉCNICA

O Centro Educativo Estadual Profissionalizante de Colorado, no Noroeste do Paraná, finalmente será concluído. O Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar) finaliza o trabalho de obtenção de novas licenças e atualização de projetos e de orçamento pela defasagem de preços para a nova licitação, marcada para acontecer em setembro. O valor de investimento é estimado em R$ 7,6 milhões.

O Centro Educativo Profissionalizante é um convênio com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). A obra foi iniciada em 2012 e paralisada em 2015, com 57% construída. O espaço conta com laboratórios, biblioteca, salas de aula, salas de professores e área de esportes, e pode receber até 1.200 alunos.

O objetivo é ajudar na preparação de mão de obra para trabalhar no setor sucroalcooleiro e nas indústrias frigoríficas da região (Colorado, Paranacity e Santo Inácio), que são os grandes motores da economia local. Outra ideia é um curso de curtimento de couro na capital paranaense do rodeio.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse