Investimento em saúde bucal transforma atendimento no País


C om a priorização da saúde odontológica na rede pública, mais de 104 milhões de pessoas já foram beneficiadas em todo o País. Cenário bem diferente de 14 anos atrás, quando o acesso dos brasileiros era limitado e os principais tratamentos eram de extração dentária, sem atendimentos especializados e reabilitação em saúde bucal.

Em todo o ano passado, cerca R$ 1,1 bilhão foram investidos no setor, maior valor da série histórica da Política Nacional de Saúde Bucal. Deste total, houve a aplicação de R$ 344,3 milhões para qualificar, ampliar e fortalecer o atendimento em saúde bucal no Sistema Único de Saúde (SUS). Ocorreu a compra de 10 mil cadeiras odontológicas e o custeio de 2.299 novas equipes de saúde bucal.

Atualmente, o Brasil conta com 26.406 equipes de saúde bucal, 1.766 laboratórios regionais de prótese dentária e 1.121 centros de especialidades odontológicas, sendo que 551 destes possuem adesão à Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência (RCPD). Além disso, os municípios receberam 302 unidades odontológicas móveis, para serviços a populações de locais de difícil acesso.

AVANÇOS

Cada equipe de saúde bucal pode atender a aproximadamente 3,5 mil pessoas, informou a coordenadora-geral de saúde bucal do Ministério da Saúde, Lívia Maria de Souza. Serviços de maior complexidade geralmente são buscados pela população dos locais em que a qualidade da estrutura de saúde é maior. Assim, nos lugares mais carentes, o atendimento básico ainda predomina.

“Nos municípios onde há essa estruturação [de atendimento de saúde bucal], a gente, de fato, constata um maior número de procedimentos preventivos, com poucos procedimentos de extrações dentárias. A gente pensa que, quanto maior a cobertura daquele município ou estado, melhor tornam-se os indicadores”, ressaltou Lívia.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do Ministério da Saúde

Compartilhe: