Governo desenvolve projeto de cestas do campo para beneficiar produtores e consumidores

O Governo do Estado desenvolve o projeto Cestas Solidárias, por meio do IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater), em parceria com universidades, na Região Metropolitana de Curitiba.

Agricultores familiares que participam do projeto entregam cestas de produtos agroecológicos a grupos de consumidores, semanalmente, com preços muitas vezes menores do que os valores de mercado. Já existem 70 grupos formados e 20 produtores estão sendo beneficiados.

Leandro Schneider, do IDR-Paraná, é responsável por fazer a mediação entre os produtores e consumidores que participam do projeto. Ele conta que o projeto Cestas Solidárias surgiu em 2009, seguindo um modelo inspirado nas AMAPs (Associação para a Manutenção de uma Agricultura Familiar) criadas na França. Foi o extensionista Ivo Melão que fundou o projeto no Paraná e desde então novos grupos vêm se somando ao projeto. Segundo ele, o número de grupos já foi maior, mas a pandemia obrigou muita gente a trabalhar em casa, prejudicando os grupos formados em empresas e escolas.

“Essa iniciativa vem responder a uma demanda crescente por parte dos consumidores por alimentos frescos e diversificados, agroecológicos, com uma identidade e proveniência conhecidas e um preço acessível. Por outro lado, responde a uma dificuldade de comercialização que muitos produtores enfrentam, trazendo segurança de renda e de planejamento da produção”, afirmou Moacir Darolt, do IDR-Paraná, que também participou da implantação do projeto no Paraná. Os primeiros grupos de cestas solidárias foram desenvolvidos pelo antigo Centro Paranaense de Referência em Agroecologia (CPRA), atual IDR-Paraná. Na sequência a iniciativa foi adotada na Universidade Estadual de Ponta Grossa, na Copel e na empresa Teia Agroecológica.

O projeto traz benefícios para todos os envolvidos. “Os agricultores têm a garantia da venda semanalmente, sem intermediários. Por isso eles podem fazer a entrega por um preço menor”, ressaltou Schneider.

Na outra ponta, o consumidor tem acesso facilitado a produtos agroecológicos, a menores preços. Em média as cestas têm de sete a nove produtos, entre frutas e hortaliças, podendo até incluir compotas e doces. A principal característica é que são produtos de época, produzidos sem insumos químicos.

Na aproximação entre consumidores e produtores é feito um acerto sobre o número de itens da cesta, a data, o local e horário para a entrega e o preço. Schneider informou que o valor médio é de R$ 30,00, por cesta, com a entrega no local combinado. Normalmente os produtores estabelecem que o contrato com os consumidores tenha a duração de um ano. O pagamento é feito de forma antecipada, mensalmente.

O agricultor interessado em participar do projeto deve entrar em contato com a sua cooperativa ou com o escritório do IDR-Paraná do seu município para conhecer as demandas dos consumidores mais próximos da sua propriedade.

Schneider orienta que os consumidores interessados em apoiar o projeto, adquirindo as cestas, devem procurar saber no IDR-Paraná se existe algum grupo na sua região. Se não houver, a pessoa pode reunir amigos ou familiares para formar um grupo, com um número mínimo de 15 participantes. A partir daí basta entrar em contato com o IDR-Paraná que vai promover um encontro com produtores para a definição de produtos e detalhes da entrega.

O contato com a Estação pode ser feito pelo telefone (41) 3544-8110.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse