Estado promove primeiro encontro com prefeituras após sanção da Lei de Resíduos Sólidos

A Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo promoveu nesta segunda-feira (12/07) o primeiro encontro com representantes municipais após a sanção, pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, do Plano Estadual de Resíduos Sólidos do Paraná (PERS/PR). A reunião do R20, grupo consultivo que busca soluções relacionadas aos resíduos sólidos, foi no Palácio Iguaçu.

Foram debatidas propostas e soluções para a destinação correta de resíduos sólidos. O simpósio reuniu secretários municipais da área do meio ambiente, representantes das prefeituras e integrantes do R20.

Segundo o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo e presidente do R20, Márcio Nunes, o objetivo, a partir de agora, é estruturar programas para promover a gestão eficiente e inovadora de resíduos sólidos no Paraná, de olho nos marcos globais do setor.

“A proposta é conversar diretamente com os representantes municipais para que eles nos apontem ideias e iniciativas. É uma questão que ninguém consegue resolver sozinho. É preciso ter uma participação efetiva da população e de seus representantes”, destacou.

A gestão de resíduos sólidos também envolve o Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo. A intermediação para o fornecimento de equipamentos aos municípios, por exemplo, é realizada dentro do órgão.

O diretor-presidente do IAT, Everton Souza, disse que a sustentabilidade é uma política permanente de Estado. “Essa atividade de atendimento aos municípios é o nosso grande foco e esse apoio é necessário para que tenhamos soluções conjuntas”, afirmou.

PLANO ESTADUAL

O Plano Estadual de Resíduos Sólidos foi sancionado pelo governador em junho de 2021. Ele orienta soluções e ações regionais integradas para equacionar as grandes questões relativas à produção, tratamento e destinação dos resíduos sólidos no território paranaense.

Também está dentro da meta da Agenda 2030, compromisso assumido pelo Paraná com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O Estado é foco do projeto Abordagem Territorial dos ODS, que tem como objetivo otimizar a aplicação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Organização das Nações Unidas (ONU) em diferentes localidades.

Os objetivos e as metas do Plano Estadual foram apresentados pelo diretor de Políticas Ambientais da Secretaria, Rafael Andreguetto. De acordo com ele, os temas mais apontados pelos representantes municipais no encontro estão dentro das políticas da secretaria: Lixo 5.0, Educação Ambiental e Logística Reversa.

“A preservação e a sustentabilidade eram discurso padrão e se tornaram uma certeza. Todos falavam em sustentabilidade, mas ninguém praticava. O Paraná, hoje, está provando que tem inovação e tecnologia para que ser mais sustentável”, disse.

Para a secretária municipal de Meio Ambiente de Pato Branco, Keli Starck, é o momento de equiparar as experiências e atuar em conjunto com outros municípios. “É um instante ímpar, nunca tivemos a oportunidade de sentar com um secretário de Estado para discutir as demandas e necessidades das nossas cidades”, disse.

A secretária municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Campo Mourão, Shelly, Miriam Fernandes Nogueira, afirmou que a aproximação com o Estado faz toda a diferença na elaboração de políticas públicas. “É muito importante falar uma única língua, para que fique fácil ter uma amplitude do que realmente acontece com a questão ambiental”, afirmou.

Cristiano Jaskiw, secretário municipal de Meio Ambiente de Pitanga, compartilhou a opinião. “Recebemos com certo espanto o chamado para essa conversa, e de agora em diante vamos discutir, alinhar e tentar resolver os problemas do dia a dia”, destacou.

INVEST PARANÁ

No mesmo encontro, o presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin, apresentou aos representantes municipais o papel da agência na atração de investimentos, com olhar especial na sustentabilidade. Ele destacou que todo investimento privado está atrelado ao licenciamento ambiental.

“A Invest Paraná faz a conexão entre o setor privado e o público. Deixamos o terreno mais tranquilo possível”, afirmou.

Bekin também lembrou que o Paraná irá representar o Brasil no Pavilhão da Expo Dubai 2020, entre os dias 10 e 17 de outubro deste ano. A exposição internacional concentra mais de 190 países em 181 dias de evento e espera receber 25 milhões de visitantes.

De acordo com ele, o foco da exposição será a sustentabilidade. “Estamos levando para Dubai um conceito que criamos no Paraná, que é o Estado que protege o cidadão, o meio ambiente e quem produz”, disse.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Banner Edplants, Acesse