Estado contempla mais 35 empresas com Selo Clima Paraná


Mais 35 empresas receberam nesta quarta-feira (7) o Selo Clima Paraná numa solenidade na Sala dos Conselhos da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). O programa é uma iniciativa da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos que tem como objetivo estimular as empresas a publicarem inventários de emissões de gases do efeito estufa, além de reduzirem as emissões.

O secretário estadual do Meio Ambiente, Antonio Carlos Bonetti, disse que o projeto possui grande relevância, tendo em vista o aumento progressivo das emissões de gases do efeito estufa observado no Brasil. “Apesar da crise econômica que atravessamos, com redução no consumo de bens e serviços e a consequente diminuição da atividade industrial, a emissão de gases do efeito estufa cresceu nos últimos dois anos, tornando iniciativas como esta ainda mais importantes”, afirmou. O secretário destaca que o Governo não pode solucionar sozinho os problemas ambientais e o envolvimento da sociedade civil na luta contra as mudanças climáticas é muito importante.

PREMIAÇÃO

O Selo Clima Paraná é dividido em três categorias: Selo CLIMA PARANÁ, categoria “Original”, para as empresas que elaboram inventários das emissões de gases de efeito estufa e os submetem à validação da Secretaria. Selo CLIMA PARANÁ, categoria “Ouro”, para as empresas que submetem os Inventários de Emissões à verificação de uma terceira-parte independente, acreditada pelo Inmetro. Selo CLIMA PARANÁ, categoria “OURO PLUS”, para as empresas que submetem os Inventários de Emissões à verificação de uma terceira-parte independente, acreditada pelo Inmetro, comprovando a redução das emissões em taxa anual compatível com os compromissos assumidos pelo Brasil no Acordo Global do Clima, em Paris. O Selo CLIMA PARANÁ está amparado na Lei Estadual 17.133/2012, e garante por meio do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) a prorrogação de um ano na licença de operação da empresa outorgada.

MENOS CARBONO NA ATMOSFERA

Como signatário do Acordo Paris, o Brasil se comprometeu a reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 37% até 2025 e 43% até 2030, relativamente às emissões de 2005. Estas metas são compatíveis com a proposta de limitar o aquecimento global, mas são também audaciosas, principalmente ao exigir um grande esforço para mudança da matriz energética, melhoria da eficiência energética nos setores da indústria e dos transportes, redução drástica dos desmatamentos, recuperação de pastos degradados e uma agropecuária mais sustentável.

Segundo a titular da Coordenadoria de Mudanças Climáticas (CMC) da Secretaria do Meio Ambiente, Marianne Dutra, estima-se que somente no ano passado tenham sido liberadas aproximadamente 50 bilhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera, num cenário em que o Brasil é responsável por 1,7 bilhão de toneladas dessas emissões e o Paraná por emitir 60 milhões de toneladas de CO2.

“As emissões de gases de efeito estufa no Paraná correspondem a aproximadamente 4% das emissões brasileiras, sendo que o PIB paranaense representa aproximadamente 6% do PIB nacional, demonstrando claramente que a economia do Paraná tem uma intensidade de carbono inferior à economia do país”, afirma Marianne.

Para o secretário executivo do Fórum Paranaense de Mudanças Climáticas Globais, José Rubel, que também integra a equipe da CMC, o Paraná tem condições de colaborar de forma relevante para alcançar os compromissos brasileiros no Acordo de Paris.

“Precisamos fazer o dever de casa, reduzir as emissões de gases de efeito estufa da agropecuária com a integração lavoura-pecuária-floresta, incentivar o plantio de florestas comerciais para recuperar pastos degradados e fomentar a produção de biocombustíveis, além de recuperar o protagonismo nas iniciativas de mobilidade urbana”, disse Rubel.

Confira as empresas comtempladas.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: