Escola Segura e Patrulha Escolar são temas de formação de PMs

Na última sexta-feira (26), 160 policiais militares que integram os programas Patrulha Escolar e Escola Segura, do Governo do Paraná, participaram de uma instrução de nivelamento. A ação foi promovida pelo Batalhão da Patrulha Escolar Comunitária, em parceria com a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte.

O treinamento antecede o retorno das atividades escolares na rede pública estadual e é oferecido todos os anos nos meses de fevereiro e julho, com orientações teóricas e aulas práticas. “São assuntos que consideramos pertinentes à rotina do serviço dos policiais”, diz o comandante da 1ª Companhia da Polícia Militar do Paraná, primeiro-tenente Morais. “A cada treinamento, vamos aprimorando o conteúdo e trazendo as novidades do quem tem acontecido no cenário estadual”, explica.

Para a responsável pelos programas Patrulha Escolar e Escola Segura na Secretaria de Estado da Educação, Lígia Berg, a formação é uma chance de aperfeiçoar a capacitação dos policiais que atuam junto às escolas. “Principalmente o policial do Escola Segura, que é um policial que está dentro do ambiente escolar e precisa conhecer as particularidades das escolas, como é o funcionamento, a organização e qual é o papel dele nesse contexto”, explica.

ESCOLA SEGURA

Durante o encontro, foi apresentado aos policiais uma avaliação da primeira etapa do programa Escola Segura desde a implantação, em maio deste ano. O programa, que está na fase piloto, tem duas frentes de trabalho na Secretaria da Esducação: a operacional, coordenada pela Diretoria de Planejamento e Gestão Escolar, e a pedagógica, coordenada pelo Departamento de Diversidade e Direitos Humanos da Secretaria.

Um levantamento prévio feito pela Secretaria mostrou que o reforço da segurança no entorno e dentro das escolas atendeu a necessidade da maioria das instituições contempladas. “Os resultados são muito positivos. A comunidade escolar, os gestores das escolas e os pais estão gostando. A preocupação dos pais hoje é saber se o filho está seguro na escola. E esse é o nosso objetivo: garantir a segurança dos nossos alunos e funcionários”, disse Lígia Berg.

CLIMA MELHOR

Ricardo Teixeira, diretor do Colégio Estadual Professora Marilze da Luz Brand, em Araucária, conta que desde que a escola foi contemplada pelo programa, o clima escolar melhorou muito e as preocupações com segurança diminuíram.

“A presença dos policiais do programa trouxe mais tranquilidade para o dia a dia da escola, e impactou na dedicação que a equipe diretiva tem com o aspecto pedagógico e de gestão. Sem a preocupação com segurança, temos mais foco na aprendizagem”, explicou Teixeira, que recebe 800 alunos todos os dias na escola.

ESCOLAS CONTEMPLADAS

Atualmente, 53 escolas da rede estadual de ensino participam do programa Escola Segura. A escolha das instituições foi feita com base em dados como a localização, a vulnerabilidade, o número de alunos e o número de ocorrências. Para participar do programa, a escola deve oficializar um pedido aos Núcleos Regionais de Educação. “O diretor faz o termo de adesão. Depois é feita uma reunião com o conselho escolar, onde todos que fazem parte da comunidade escolar aprovam o programa dentro da instituição de ensino”, explica Lígia.

MILITARES DA RESERVA

O reforço na segurança escolar é feito por militares da reserva, policiais já aposentados que optaram por voltar ao trabalho. Os policiais participantes passam por exames psicológicos, físicos e tem o histórico-social pessoal analisado. Hoje, 102 policiais fazem ronda interna, externa e preservação de patrimônio em escolas de Londrina, Foz do Iguaçu e em municípios da Região Metropolitana de Curitiba.

Foi assim com o Marcelo José Fagundes de Oliveira. Depois de vinte e cinco anos na Polícia Militar do Paraná e cinco aposentado, decidiu voltar e agora, aos 51 anos, é um dos agentes de segurança do Escola Segura. Ele atua no Colégio Estadual Arnaldo Busato, em Pinhais, entre 15h e 23h. “Após esse período parado, senti que poderia contribuir mais. E nada melhor do que fazer isso na escola, garantindo a segurança dos estudantes”, conta o militar.

PATRULHA ESCOLAR

Programa do Governo do Paraná criado para prevenir e combater crimes e atos infracionais no entorno e no interior das escolas do Paraná, o Patrulha Escolar conta com policiamento realizado por policiais militares capacitados, que conhecem a realidade da comunidade e atuam para minimizar as ações criminosas.

No Colégio Estadual Pinheiro do Paraná, que fica no bairro Santa Felicidade, em Curitiba, o suporte policial é bem recebido. A diretora Renata Jardim conta que a Patrulha auxilia as escolas em situações em que há necessidade de maior segurança.

“Quando a situação configura ato infracional, que é algo que a gente vê que na mediação ou na conversa não vai ser solucionado, a Patrulha nos auxilia nessa resolução de conflito”, afirma a diretora. “Se algo foge do controle ou se há alguma ação de pessoas de fora da escola, a presença deles é necessária, sem dúvida”, conclui.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Banner Edplants, Acesse