Empresa incubada do PTI permite crescimento de 30% nos resultados de seus clientes


A IPRO Gestão de Toledo, no Oeste do Paraná, uma das empresas incubadas do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) está conseguindo aumentar em 30% o resultado do negócio das organizações que atende. O segredo, segundo os sócios do empreendimento, está no “resgate da essência das empresas”. Não é fórmula mágica; é trabalho e comprometimento, afinal, seu principal business é a estratégia comercial.

A IPRO propõe soluções de adaptações para melhorar os índices das empresas, que vão desde a revisão do planejamento estratégico até a criação de indicadores e monitoramento do retorno de caixa.

A IPRO Gestão é especializada em serviços de estratégia comercial. Ela tem conseguido incrementar em mais de 50% as operações de seus clientes e melhorar em mais de 30% os resultados financeiros. A meta para 2019 é ampliar ainda mais a área de atuação, inclusive para outros Estados, e manter de forma permanente a capacitação de sua equipe.

O diferencial da IPRO Gestão é seu método de atuação, que começa por um diagnóstico para identificar os principais pontos de melhoria dentro da organização. Depois dessa fase, conta a sócia Fabiane Hoffmann, é apresentada uma proposta de reposicionamento, em que são contempladas ações como a revisão do planejamento estratégico, a redefinição da estrutura organizacional, a identificação de processos da cadeia de agregação de valor, o desenho, a padronização e a implantação desses processos. Também é criada uma matriz de indicadores de acompanhamento de resultados.

Para o diretor superintendente do PTI, Jorge Augusto Callado, o apoio aos novos negócios fomenta um importante compromisso do Parque em promover o desenvolvimento das comunidades. “Estaremos em constante apoio aos ecossistemas de inovação que atendam à nossa vocação regional”.

INCUBAÇÃO

A IPRO Gestão está no mercado de forma efetiva desde janeiro de 2017. Para Fabiane, o processo dentro da Incubadora do PTI foi importante para o sucesso que a empresa vem conquistando.

“O processo foi fundamental para a definição do nosso modelo de negócio. Apesar de termos base de formação e experiência de atuação, tivemos acessos a workshops, ferramentas e mentorias que nos despertaram para várias questões relacionadas ao empreendedorismo, estrutura de negócio, posicionamento de mercado e validação de público alvo”, explica.

A empreendedora conta que o desenvolvimento da empresa é monitorado pela Incubadora. “Prestamos conta periodicamente e a equipe nos dá suporte no direcionamento de algumas estratégias do negócio, buscando crescimento e sustentabilidade”, ressalta. A incubação, segundo ela, também favoreceu a criação de relacionamentos e a abertura de mercado.

A INCUBADORA

A Incubadora Santos Dumont, parte do Programa de Desenvolvimento de Negócios do PTI, possui sede no Parque Tecnológico Itaipu e conta com duas filiais, uma na Uniamérica, em Foz do Iguaçu, para projetos específicos de alunos da faculdade, e outra em Marechal Cândido Rondon.

De 2006 até 2017, foram lançados 11 editais para incubação. Neste período, 56 empresas passaram pela Incubadora do Parque, gerando um faturamento de aproximadamente R$ 50 milhões.

Crédito: Divisão de Imprensa da Itaipu Binacional / Foto: Divulgação

Compartilhe: