Deputado Jonas Guimarães participa de Comissão que discute embargo europeu ao frango brasileiro

Autoridades buscam solucionar o impasse. Deputado Jonas Guimarães discursou em defesa dos produtores e abatedores do Estado

O deputado estadual Jonas Guimarães é integrante de uma Comissão Especial que visa discutir os embargos da União Europeia ao frango brasileiro. Um manifesto oficial da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) endereçado ao Ministério da Agricultura, Pesca e Abastecimento para que o governo federal volte a defender de forma enfática a derrubada do veto europeu ao frango brasileiro na Organização Mundial do Comércio (OMC), assim como a busca urgente de novos mercados potencialmente importadores, são algumas das ações da Comissão.

O documento a ser elaborado será assinado por lideranças de diversas entidades, como a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná (Fetaep), o Sistema da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar) e o Sindicato das Indústrias Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar). Algumas sugestões para aliviar os efeitos do fechamento do comércio de frango para a União Europeia dizem respeito também a incentivos tributários, como o diferimento do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da energia elétrica, responsável por parte significativa dos custos da produção de aves.

Durante a reunião, o presidente da Fetaep, Ademir Mueller, avaliou os reflexos dos embargos como extremamente preocupantes, porque envolvem a cadeia produtiva de maneira geral, resultando em um sensível agravamento da crise social e econômica. “Será muito grande o efeito deste veto, porque teremos desemprego em todas as áreas, no campo, nos frigoríficos, nas granjas. Enfim, a situação é muito preocupante e precisa de uma rápida intervenção, pois os efeitos do negócio do frango são sentidos rapidamente”.

Segundo dados apresentados pela Ocepar, o frango representa 30% de toda a exportação brasileira, dos quais 27% são de produtos originários do Paraná. Dos 20 frigoríficos atingidos pela restrição, oito deles estão localizados no estado. A previsão é de que ao menos 50 milhões de aves deixem de ser exportadas. “Este embargo não diz respeito à qualidade do frango, não está colocado em relação ao aspecto sanitário, mas se dá por uma questão de comércio. Esta medida protetiva afeta significativamente a cadeia produtiva. Temos que buscar alternativas, incentivos de outras formas, até que se estabeleça a normalidade da exportação, pelo menos para minimizar estes impactos”, afirmou o representante da Ocepar, Nelson Costa.

DEFESA AOS PRODUTORES E ABATEDORES

O deputado Jonas Guimarães fez ainda uso da tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, onde demonstrou a grande preocupação dos parlamentares – além de Guimarães, que é um investidor na área.

Na tribuna, o deputado atacou o descredenciamento proposto pela União Europeia, que atinge mais de 20 frigoríficos brasileiros exportadores da carne de frango. “Se diminuir a exportação, é preciso aumentar a oferta no mercado interno. Como consequência, teremos a queda do preço da carne, que acarretará também a queda do valor para os criadores e abatedores. Isso é perigoso, pois pode afetar também a área de empregos no setor”, finalizou o deputado. (Com informações da Assessoria Alep)

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do Deputado Estadual Jonas Guimarães

Compartilhe: