Dengue avança mais que em 2014 em Cianorte

dengue-site2Cianorte é uma das cidades da região Noroeste que estão em alerta contra a dengue. Os casos aumentam e a Secretaria de Saúde amplia as ações e monitora os casos positivos. Esse ano já são 65 casos de dengue registrados em Cianorte, sendo 13 casos a mais que o mesmo período do ano passado. “Estamos passando veneno UBV [Ultra Baixo Volume] costal e fazendo bloqueios nas regiões conforme surgem as novas notificações”, comentou a  supervisora do Programa de Combate à Dengue, Vera Fusisawa, que pede a colaboração do moradores em vistoriarem os quintais para eliminar os focos do mosquito Aedes aegypti.

A secretaria de Saúde monitora uma mulher de 75 anos que está internada há duas semanas no hospital Santa Casa de Cianorte. Ela já se recuperou bem, está andando, mas ainda tem o quadro clínico preocupante e está em observação. Essa semana o setor de epideomologia da Secretaria de saúde registrou outros cinco pacientes que foram internados em hospital com sintomas de dengue.

ESTADO – Preocupadas com o número de casos de dengue no país, as universidades estaduais de Londrina (UEL), de Maringá (UEM) e do Oeste do Paraná (Unoeste) intensificam as ações de combate à doença neste início de ano letivo. São medidas que vão desde a eliminação de possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti até o desenvolvimento de um software para o mapeamento da dengue.

Na UEM, além das ações sistemáticas para eliminar os focos do mosquito transmissor da dengue, como mutirões para recolher o lixo e entulhos e roçadas pelo campus, a universidade ampliará seu leque de atividades, envolvendo diversos setores da instituição.

TRANSMISSÕES – O mosquito da dengue é rajado, geralmente escuro, com manchas brancas pelo corpo. Sua característica é a presença de um desenho prateado na parte dorsal do tórax. A fêmea pica durante o dia. Vale lembrar que mosquito contaminado permanece com o vírus durante toda a vida, um tempo médio de 30 a 45 dias. Porém os ovos permanecem vivos até 450 dias.

Há duas formas de dengue, a clássica e a hemorrágica. A dengue clássica apresenta-se geralmente com febre, dor de cabeça, dor no corpo, dor nas articulações e dor por trás dos olhos, podendo afetar crianças e adultos, mas raramente mata. Já a dengue hemorrágica é a forma mais severa da doença, pois além dos sintomas normais, é possível ocorrer sangramento e, ocasionalmente, choque, o que pode levar à morte.

CASOS DE DENGUE EM CIANORTE EM 2015:
Zona 3 – 21 casos
Zona 7 – 20
Zona 8 – 7
Zona 4 – 7
Zona 2 – 3
Zona 6 – 2
Jd. Universitário – 2
Zona 1 – 1
São Lourenço – 1
Venda Maringá – 1

Texto e foto: Andye Iore/FOLHA
* publicado originalmente na edição impressa do dia 28 de março de 2015. 

Compartilhe:

Dengue avança mais que em 2014 em Cianorte

dengue-site2Cianorte é uma das cidades da região Noroeste que estão em alerta contra a dengue. Os casos aumentam e a Secretaria de Saúde amplia as ações e monitora os casos positivos. Esse ano já são 65 casos de dengue registrados em Cianorte, sendo 13 casos a mais que o mesmo período do ano passado. “Estamos passando veneno UBV [Ultra Baixo Volume] costal e fazendo bloqueios nas regiões conforme surgem as novas notificações”, comentou a  supervisora do Programa de Combate à Dengue, Vera Fusisawa, que pede a colaboração do moradores em vistoriarem os quintais para eliminar os focos do mosquito Aedes aegypti.

A secretaria de Saúde monitora uma mulher de 75 anos que está internada há duas semanas no hospital Santa Casa de Cianorte. Ela já se recuperou bem, está andando, mas ainda tem o quadro clínico preocupante e está em observação. Essa semana o setor de epideomologia da Secretaria de saúde registrou outros cinco pacientes que foram internados em hospital com sintomas de dengue.

ESTADO – Preocupadas com o número de casos de dengue no país, as universidades estaduais de Londrina (UEL), de Maringá (UEM) e do Oeste do Paraná (Unoeste) intensificam as ações de combate à doença neste início de ano letivo. São medidas que vão desde a eliminação de possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti até o desenvolvimento de um software para o mapeamento da dengue.

Na UEM, além das ações sistemáticas para eliminar os focos do mosquito transmissor da dengue, como mutirões para recolher o lixo e entulhos e roçadas pelo campus, a universidade ampliará seu leque de atividades, envolvendo diversos setores da instituição.

TRANSMISSÕES – O mosquito da dengue é rajado, geralmente escuro, com manchas brancas pelo corpo. Sua característica é a presença de um desenho prateado na parte dorsal do tórax. A fêmea pica durante o dia. Vale lembrar que mosquito contaminado permanece com o vírus durante toda a vida, um tempo médio de 30 a 45 dias. Porém os ovos permanecem vivos até 450 dias.

Há duas formas de dengue, a clássica e a hemorrágica. A dengue clássica apresenta-se geralmente com febre, dor de cabeça, dor no corpo, dor nas articulações e dor por trás dos olhos, podendo afetar crianças e adultos, mas raramente mata. Já a dengue hemorrágica é a forma mais severa da doença, pois além dos sintomas normais, é possível ocorrer sangramento e, ocasionalmente, choque, o que pode levar à morte.

CASOS DE DENGUE EM CIANORTE EM 2015:
Zona 3 – 21 casos
Zona 7 – 20
Zona 8 – 7
Zona 4 – 7
Zona 2 – 3
Zona 6 – 2
Jd. Universitário – 2
Zona 1 – 1
São Lourenço – 1
Venda Maringá – 1

Texto e foto: Andye Iore/FOLHA
* publicado originalmente na edição impressa do dia 28 de março de 2015. 

Compartilhe: