Defesa Civil propõe integração do sistema estadual ao federal


O coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil do Paraná, coronel Ricardo Silva, se reuniu com o Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas Alves, nesta quarta-feira (20), em Brasília, e apresentou uma proposta de integração dos dados do SISDC (sistema estadual) ao cadastro nacional.

Segundo o coordenador estadual, a integração tem como principal finalidade estreitar o relacionamento com o governo federal para acelerar o reconhecimento de situação de emergência e de estado de calamidade pública, além de facilitar o acesso aos recursos para a resposta e recuperação dos desastres. Em termos práticos, essa ação proposta pelo Paraná facilita o trânsito das informações entre os sistemas.

“No momento em que há por parte do governo federal o reconhecimento da situação de anormalidade, há possibilidade de buscar recursos em nível federal. Então, uma vez reconhecida a necessidade de ajuda rapidamente abre-se a condição para o Estado buscar recursos nos diversos ministérios para dar uma resposta rápida ao cidadão”, afirmou.

Pela proposta, os dados estaduais passariam a conversar com os protocolos do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres. A primeira visita do coronel Ricardo Silva ao Ministério do Desenvolvimento Regional teve como função primordial fortalecer o relacionamento entre a Defesa Civil do Paraná e a Defesa Civil Nacional.

PARTICIPAÇÕES

Também acompanharam a visita o delegado Sivanei de Almeida Gomes, diretor do Departamento de Inteligência do Estado do Paraná (DIEP), e o major Rodrigo Perin de Lima, da Coordenadoria de Análise e Planejamento Estratégico (CAPE) da Secretaria de Estado da Segurança Pública.

SISDC

O Sistema Informatizado da Defesa Civil (SISDC) foi premiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2015 como “melhor sistema de informação de uso interno das Américas”. Ele foi desenvolvido pela Celepar (Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná).

A ferramenta possibilita controle ativo e integrado das informações de desastres, com mapa dos municípios atingidos, pessoas afetadas, ajuda humanitária enviada, além dos planos de contingência dos municípios, pessoas designadas, entre outras ferramentas.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: