Cristiane Roco utiliza a tribuna livre e fala sobre educação ambiental em Cianorte

 

Chefe de Divisão falou sobre as ações da pasta, bem como sobre a importância do Parque Cinturão Verde para a cidade. Caso a população encontre algum animal silvestre em seu domicílio, pode ligar para a Secretaria de Meio Ambiente: (44) 3631-6152 (horário comercial) e fora do horário para os bombeiros no 193

Na sessão ordinária desta última segunda-feira, 10 de maio, – conforme requerimento 314/2021, de autoria do vereador e presidente Wilson Pedrão (Republicanos) – utilizou a tribuna livre, a chefe de divisão de Educação Ambiental, Cristiane Marchini Roco, a fim de falar sobre as ações da pasta, bem como sobre o Parque Cinturão Verde.

Primeiramente, Cristiane afirma que a luta para a criação do Parque Cinturão Verde, que comemorou 21 anos no último dia 28 de abril, começou ainda na década de 80, mas o primeiro lote, Módulo Mandhui, foi doado em 1993.

“Muitas pessoas questionaram sobre o parque ser mais velho, porém, em 28 de abril de 2000, foi doado uma área maior de 300 hectares pela Companhia Melhoramentos Norte do Paraná (CMNP), onde, efetivamente, começou o trabalho de preservação, recuperação e conservação, bem como o município começou a receber, mensalmente, ICMS Ecológico, que é, atualmente, entre 260 e 280 mil/mês”, explica Cristiane, que com a conservação, foram plantadas nos últimos anos, aproximadamente, 100 mil árvores no parque.

De acordo com a chefe de Educação Ambiental, o Parque Cinturão Verde é divido em cinco módulos: Fantasminha (Atlântico e Cianortinho), Uruçora/Perobas (Avenida Minas Gerais), Cristalino (atrás do cemitério), Mandhui (Mãe Biela), onde ficou maior erosão urbana do Brasil na década de 70, hoje recuperada, e Corujinha (Seis Conjuntos). “Toda ação no parque, por ser uma Unidade de Conservação, deve constar no Plano de Manejo, o qual é revisado a cada 4 anos”, pontua.

Atualmente, segundo Cristiane, o parque é composto por 623 hectares de Mata Atlântica e precisa continuar a preservação. “A cerca é a única separação, assim, a saída de animais é muito frequente e acabam invadido as casas. Em 2020, houve o regaste de, aproximadamente, 150 animais”, alerta. “Caso a população encontro algum animal silvestre em seu domicílio, pode ligar para a Secretaria de Meio Ambiente: (44) 3631-6152 (horário comercial) e fora do horário para os bombeiros no 193, que eles acionam a bióloga de plantão”, finaliza.

Fonte: Diego Fernando Laska – Assessoria de Comunicação Social da Câmara Municipal de Cianorte

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse