Crédito para microempreendedores: 4 dicas para investir bem

Pedidos de crédito crescem em fintechs e recurso pode ser a solução para tirar ideias do papel e alavancar negócios 

Com o desemprego ainda em alta no Brasil, atingindo 14,1 milhões de brasileiros, cada vez mais pessoas estão se reinventando profissionalmente para ter acesso a renda. O microempreendedorismo tem sido uma solução, mas quem trilha esse caminho se depara com muitas dificuldades para tirar ideias do papel e realizar projetos, especialmente em meio à inflação e ao aumento de preço de insumos diversos.

Não à toa, dados divulgados pelo Google mostram um crescimento de pelo menos 500% nas buscas por “empréstimos com juros baixos”, entre julho de 2020 e julho de 2021. Neste cenário, a busca por crédito em fintechs se tornou uma saída para pequenos negócios, já que essas instituições oferecem melhores condições para pequenos e médios empreendedores.

Levantamento realizado pela Simplic, fintech de crédito pessoal online, revela que entre os meses de janeiro e março deste ano os pedidos de crédito para novos negócios aumentaram 4% em relação ao ano passado, totalizando mais de 20% de todas as solicitações recebidas pela empresa – são, por dia, mais de 10 mil novos pedidos em análise. 

Tão importante quanto ter o esperado sim da instituição financeira é saber como investir o empréstimo para acelerar o crescimento do negócio e não colocar esse recurso a perder. Thaíne Clemente, Executiva de Estratégias e Operações da Simplic, traz quatro dicas para pequenos e médios empreendedores:

1- Digitalização

Empreender com pouco investimento é possível. Por meio do crédito, pode-se empregar modelos de ampliação do negócio e entrar no mundo digital para aumentar as vendas e os lucros, seja por meio de uma loja online ou diretamente pelos canais digitais já utilizados na divulgação do negócio.

2- Controle das finanças

O controle das finanças para as pequenas e médias empresas pode ser um desafio. Com um empréstimo, pode-se investir em um planejamento financeiro e uma gestão mais eficiente. “O microempreendedor deve tomar decisões assertivas, baseadas em dados e tendências de mercado, para que possa melhorar seus resultados. O crédito pode auxiliar a estruturação para um projeto de faturamento”, explica o diretor. 

3- Investir em novas tecnologias

Outra forma de impulsionar os resultados do negócio é aderir a novas tecnologias. Implantar novas ferramentas, a depender do tipo de empreendimento, pode aumentar os lucros com ganhos de produtividade.

4- Divulgação do produto ou serviço

Investir o dinheiro do crédito para divulgar o negócio na internet trará resultados efetivos, já que é possível segmentar o público e assim aumentar as possibilidades de venda – diferentemente da divulgação tradicional, que chega até pessoas que não estão interessadas naquele produto ou serviço. “Utilizar blogs e sites também pode ser útil. A presença nesses canais torna a empresa uma autoridade e referência na área”, recomenda Cardozo.

Sobre a Simplic

Lançada em 2014 no Brasil, a Simplic é a primeira plataforma de crédito pessoal 100% online do País. Inovadora, a ferramenta utiliza inteligência artificial, machine learning e big data para analisar dados dos usuários advindos de mais de 200 variáveis e é capaz de gerar uma resposta em menos de 3 segundos. Oferece empréstimos entre R$500 e R$3.500, que podem ser pagos em 3, 6, 9 ou 12 vezes, tudo de forma prática, rápida, segura e digital. Hoje, analisa mais de 10 mil propostas por dia e já originou meio bilhão de reais desde o início das operações.

Banner Edplants, Acesse

Be the first to comment on "Crédito para microempreendedores: 4 dicas para investir bem"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*