Corpo de ex-prefeito de Cianorte é enterrado após cortejo e celebração em cemitério

 

O corpo do ex-prefeito de Cianorte Claudemir Bongiorno, que morreu após ficar 92 dias internado tratando complicações da Covid-19, foi sepultado nesta última terça-feira (20).

Bongiorno estava internado no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, desde o fim de abril, poucos dias depois de receber o diagnóstico da doença. Ele estava entubado e, desde o início de julho, estava conectado ao aparelho chamado de ECMO, um pulmão artificial.

Na segunda-feira (19/07), o empresário faleceu após não resistir a uma infecção generalizada que o que levou a uma insuficiência pulmonar e renal. No laudo de morte, ainda estão relacionadas como causas uma pneumonia e um choque séptico que é uma baixa na pressão, consequência de infecções graves e generalizadas.

O corpo de Bongiorno chegou de avião em Cianorte por volta das 9h da manhã. A família preferiu não fazer velório por causa da pandemia da Covid-19, por isso um cortejo saiu do aeroporto em direção ao Cemitério Municipal. No trajeto, o cortejo parou em frente à prefeitura e o hino da cidade foi tocado. No cemitério, apenas a família e amigos próximos participaram de uma celebração .

A esposa do ex-prefeito agradeceu as orações e apoio da comunidade neste período. “Fiz tudo o que era possível, mas não deu. Deus quis assim, infelizmente. Quero que Deus retribua a todos que oraram por ele, que pediram pela recuperação dele. Muito obrigada”, agradeceu a esposa de Bongiorno, Fátima Bongiorno.

Claudemir Bongiorno tinha 64 anos e foi um dos fundadores da Guibon Foods/Avenorte o maior frigorífico de Cianorte. A empresa trabalha com vários cortes nacionais, mas também exporta frango para outros países.

Bongiorno começou a carreira política em 1996 como vereador. Exerceu o cargo por duas vezes. A Câmara de Vereadores expressou profundo pesar e lamentou a morte do ex-prefeito. Na nota, o presidente atual disse que ele foi uma grande liderança da capital do vestuário.

Em 2013, Bongiorno venceu a primeira eleição para prefeito e permaneceu à frente do Poder Executivo municipal por oito ano.

O prefeito atual, Marco Franzato, decretou luto oficial por três dias.

Bongiorno deixa esposa, três filhos e quatro netos. (Fonte: G1 Norte Noroeste)

BIOGRAFIA

“Claudemir Romero Bongiorno nasceu em 10 de janeiro de 1.957, na cidade de Nova Esperança, no Paraná. Casado com Fátima do Nascimento Bongiorno tiveram três filhos: Hugo Leonardo Bongiorno, Bruna Bongiorno Baldochi e Victor Rodrigo Bongiorno. Morava com sua família em São Tomé, município vizinho. Embora seus pais, após a geada de 1.975 tenham vindo morar em Cianorte, Bongiorno desde os 17 anos trabalhava fora e somente no final de 1.981 se instalou, definitivamente, em Cianorte.

Bongiorno, como é conhecido pela população, vem de uma família muito humilde e desde muito criança, trabalhava como boia-fria na zona rural em São Tomé, cidade vizinha que faz parte da Comarca de Cianorte, onde formou-se no ginásio. Trabalhou em diversos serviços braçais até que um dia comprou uma mala e foi para Curitiba quando mal tinha completado 17 anos, com a intenção de trabalhar e comprar uma casa para seus pais morarem. Sem emprego, foi para Araucária onde ficou sabendo que lá iam abrir uma refinaria e havia muito emprego, saindo sem dinheiro e sem lugar para morar. Logo se viu empregado com registro na carteira de trabalho, abrindo valetas nas ruas, depois foi para o almoxarifado, foi distribuidor de comida para os operários e depois foi para o escritório da empresa CBEI – Companhia Brasileira de Engenharia e Indústria. Todas as vezes que recebia seu salário colocava num cofre, apenas ficava com o necessário. Depois de 8 meses fora de casa voltou para Cianorte e lá deu entrada com suas economias na casa onde sua mãe mora até hoje! E a quitou com o resultado do seu trabalho.

Seu espírito empreendedor o ensinou a ser bom empregado e a empresa o mandou para o Rio de Janeiro e mais tarde São Paulo. Depois de 11 anos, com 28 anos voltou para Cianorte, passou a puxar soja com caminhão, trabalhou no Banco Mercantil de São Paulo, como Gerente de Operações de Crédito Rural, conquistando grande popularidade na zona rural. Aí o destino o levou a ser sócio da AVENORTE.

“O Jonas Guimarães era casado com minha prima legítima Ângela Arduim, me convidou para comer um peixe e fui com o Camargo, lá encontramos com o Edno Guimarães e quiseram saber como era o negócio de abatimento de frangos. Eu tinha 3 alqueires, onde hoje é Avenorte. Cada um dos quatro juntaram um pouco de capital e começamos fazer um poço artesiano e um depósito e recorremos a um financiamento em 1.997… Foi um grande desafio para mim, porque não tinha certeza se ia dar certo. O senhor Edno penhorou a fazenda dele como garantia do financiamento e eu nunca me esqueço quando mostrei para o Edno a última parcela já quitada do financiamento. Falei: ‘olha, amanhã, vou lá buscar, para tirar a penhora da sua fazenda que aqui está o pagamento da última parcela… Para mim, foi um sentimento de alegria e alívio ter quitado esse compromisso.”, conta Claudemir Romero Bongiorno

Bongiorno foi eleito Vereador por três vezes consecutivas; para a 10ª Legislatura de 1 de janeiro de 1.997 a 31 de dezembro de 2.000. Depois foi reeleito para a 11ª Legislatura de 1 de janeiro de de 2.001 a 31 de dezembro de 2.004, e, em ambos os mandatos, o Poder Executivo estava sob a responsabilidade do Prefeito Flávio Vieira. Na 12ª Legislatura, de 1 de janeiro de 2.005 a 31 de dezembro de 2.008, foi eleito o Prefeito Edno Guimarães e Claudemir Romero Bongiorno foi eleito pela 3ª vez vereador. Quando voltou para concorrer ao cargo de Prefeito em 2.012, ele já tinha vasta experiência política. Como Vereador foi autor de projeto de lei que realmente veio organizar a infraestrutura dos loteamentos de Cianorte, que até então, não os obrigava a oferecer água, luz, galeria, meio fio e asfalto. A Companhia Melhoramentos não concordou com isto e o então vereador foi até São Paulo e pegou a lei de cessão de colonização desta parte do Paraná para os ingleses e depois para atual companhia que estipulava o prazo de 50 anos e que venceu no ano 2.000. Desta forma a Companhia Melhoramentos Norte do Paraná cumpre rigorosamente, a nova lei em seus lotes. Durante seus três mandatos de vereador foi autor de várias leis sensíveis ao bem estar do cidadão, como a obrigação de no mínimo ter fossas sépticas nos quintais, na ausência de infraestrura maior. Foi oposição nos dois mandatos do prefeito Flávio , e mais tarde deixando a Diretoria Geral da Avenorte, pois, fora eleito Prefeito, devagar foi vendo o crescimento dos filhos dentro da empresa, assumindo-a com responsabilidade, o que talvez tenha sido o melhor resultado para a família.

Nas eleições do ano de 2012, o ex-Prefeito e ex-Deputado Estadual Edno Guimarães não concorreu para Prefeito em razão de ter cumprido dois mandatos consecutivos no Poder Executivo. O quadro eleitoral vislumbrava-se de forma diferente de agora, focando a oposição. Entretanto, seu apoio ao seu candidato foi fundamental para a eleição de Claudemir Romero Bongiorno.

Em 2012 Claudemir Romero Bongiorno concorreu pela primeira vez a prefeito tendo como vice-prefeito Sérgio Pereira Junior. Nas eleições de 2016, Bongiorno resolveu concorrer à reeleição para o cargo de Prefeito Municipal, tendo como vice-prefeito Beto Nabhan. (Extraído do livro “Sob as perobas da minha terra”, da historiadora cianortense Izaura Aparecida Tomarolli Varella)

RECONHECIMENTO

O mandato de Bongiorno a frente da Prefeitura Municipal contou com vários projetos e obras importante que ganharam reconhecimento em todo o Paraná.

Bongiorno foi o primeiro prefeito ganhador do Prêmio Gestor Público Paraná (PGP-PR), ainda em 2013, recebendo o Troféu Melhor do Ano com o projeto “Agroindústrias Familiares”. Na edição seguinte, Cianorte recebeu dois Certificados de Reconhecimento pelos projetos “Protocolo de Assistência aos Portadores de Feridas Crônicas” e “Teto Solidário”, além de uma Menção Honrosa pela continuação do projeto voltado para as agroindústrias.

Na 8ª edição da premiação, em 2020, Bongiorno foi novamente premiado, desta vez com o Troféu PGP-PR pelo projeto “Minha Casa Melhor”, em que a prefeitura oferece materiais de construção para auxiliar os moradores a efetuarem melhorias em suas residências. Durante a cerimônia de premiação, Bongiorno relembrou o pioneirismo de Cianorte no Prêmio Gestor Público Paraná. “Fui o primeiro, da primeira edição, a ser coroado, e tenho um orgulho muito grande. Por isso, eu quero parabenizar a todos os organizadores da premiação. Eu não tenho dúvida que ela tem sido uma motivação a mais aos gestores públicos do Paraná para que inovem, que busquem alternativas para melhorar a vida do nosso povo”, afirmou. (Fonte: ASCOM Prêmio Gestor Público Paraná)

COVID-19

O ano de 2020, último da gestão de Bongiorno a frene da prefeitura, foi marcado pela Pandemia do novo coronavírus (COVID-19). E ao longo de todo o ano Bongiorno buscou com sua equipe realizar ações para controlar a doença em Cianorte, o primeiro município do interior do Paraná a registrar um caso da nova doença que iria assustar e causar uma onda de mortes em todo o mundo. Uma das primeiras ações foi transformar o Centro de Eventos Carlos Yoshito Mori num centro de triagem de doenças respiratórias para avaliar e traçar o primeiro diagnóstico e também a realização de testes para confirmar ou descartar a doença.

Ao longo do ano, Bongiorno com sua equipe procurou controlar a transmissão do contágio com o distanciamento e campanhas de conscientização da população, e muitas vezes adotando medidas de restrição de circulação, o que muitas vezes lhe gerou críticas, mas como ele mesmo afirmava, sua preocupação maior era com a população.

E mesmo tomando os cuidados ao longo de sua gestão, o Covid-19 não poupou Bongiono que se contaminou em abril de 2021 iniciando uma luta por sua vida que durou 92 dias, terminando na última segunda-feira (19), trazendo tristeza para Cianorte, mas eternizando o nome de Bongiorno na história da Capital do Vestuário.

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse