Corpo de bombeiros de Cianorte captura Gato-maracajá no centro

Uma equipe do Corpo de Bombeiros fizeram um resgate de animal atípica nesta manhã da última quinta-feira (19), na Av. América, região central de Cianorte em uma loja de veículos seminovos.

O animal foi resgatado e entregue aos cuidados das biólogas Gisele Rodrigues Jacinto da Rocha e Cristiane Marchini Roco Bernardi, que encaminharam o Gato-maracajá para a Secretaria do Meio Ambiente, onde foi feitos exames e constatado que o animal estava bem. Em seguida o felino foi solto em uma mata próximo da cidade em seu habitat natural.

O animal também conhecido como gato-do-mato, caça à noite sem a companhia de outros animais. A depender da disponibilidade de alimentos, pode andar em um território de 1 km² até 20 km². O resultado é uma densidade populacional baixa, que varia de 0,01 até 0,25 animais por km² de acordo com a região avaliada. A gestação do gato-maracajá dura pouco mais de 80 dias e as fêmeas têm apenas um filhote de cada vez.

No Brasil, os locais onde o gato-maracajá é encontrado com maior frequência são a Amazônia e a Mata Atlântica. A população, no entanto, é pequena. Segundo estimativas, existem entre 4,7 mil e 20 mil indivíduos na natureza no país. E a tendência é de queda. A caça feita por criadores de aves domésticas e a derrubada e fragmentação do seu habitat colocam a espécie em risco grave. Em 15 anos, o equivalente a três gerações, a expectativa é que haja uma redução de 10% no número de gatos-maracajás.

O mamífero, tem um tempo de vida médio na natureza de 13 anos, podendo chegar até 97 cm e pesar aproximadamente 5 kg.

Fonte: Noti-cia / Foto: Corpo de Bombeiros de Cianorte e Secretaria do Meio Ambiente

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse