Copel enfrenta segundo pior evento climático já registrado

O temporal que atingiu as regiões Oeste e Noroeste do Estado na madrugada do dia 14 de outubro já é considerado o segundo evento climático mais grave já enfrentado pela Copel, atrás apenas do ciclone bomba registrado na região Leste em junho de 2020. Mais de 300 equipes estão em campo, em um intenso trabalho que possibilitou até o momento a normalização do fornecimento a 268 mil domicílios afetados pelo temporal, e segue em andamento para regularizar os serviços a 62 mil unidades consumidoras que seguem sem energia. A conta de postes quebrados já chega a 321, nas duas regiões.

De acordo com o superintendente de Operação da Copel, Francis do Alencar Prado, o esforço de recomposição do sistema está exigindo a mobilização de todas as áreas da empresa: “Remanejamos equipes de outras áreas e de outras regiões do Estado para ajudar nos trabalhos e nossa expectativa é de que até o final do domingo boa parte das cargas esteja restabelecida”, afirmou.

Na região Oeste, são 140 postes quebrados, e 36 mil domicílios sem luz. A região de Toledo foi a mais atingida, como por exemplo o município de Jesuítas, onde nove torres de uma linha de alta tensão foram ao chão com a força dos ventos. A rede básica de distribuição de energia também foi severamente danificada na região, conforme o gerente regional de Manutenção, André Janiaski. “Na linha que fica entre a comunidade Espigão Azul, em Cascavel, e Jesuítas, tivemos um caso com 17 postes quebrados. Temos duas equipes de obras atuando na reconstrução dessas redes”, comentou. Outro caso que ele cita é um trecho da área rural de Cafelândia que teve cinco postes quebrados. Já foram várias tentativas de acesso ao local, mas até o momento as equipes só conseguiram chegar a parte das estruturas que demandam a manutenção.

A dificuldade de acesso às redes danificadas em áreas rurais também é uma realidade na região Noroeste, como por exemplo nas redes que atendem o município de Francisco Alves. As duas fontes que chegam ao município, uma por Guaíra e outra por Iporã, tiveram postes quebrados em pontos que não estão permitindo passagem de caminhão; em alguns casos, as equipes estão instalando postes de fibra de vidro, que são mais leves, para permitir a reconstrução.  O gerente regional de Manutenção Fabrício Salmazo relata que os municípios de Mariluz e Moreira Sales também foram bastante prejudicados pelo temporal. Foram 12 postes quebrados nas fontes de alimentação que atendem os dois municípios, que só puderam ser religados por manobras na rede no fim da noite de ontem. O trabalho de reconstrução das redes segue, no entanto, para possibilitar o retorno à configuração normal do sistema.

A Copel lembra que, em dias de tempestades, deve-se manter distância de situações que possam oferecer riscos, como postes quebrados e fios rompidos. A falta de luz pode ser comunicada pelo site e aplicativo, pelo telefone 0800 51 00 116 e pelo WhatsApp 41 3013-8973. Há ainda a opção de enviar uma mensagem de texto (SMS) para o número 28593, com as letras “SL” e o número da unidade consumidora.

Banner Edplants, Acesse

Be the first to comment on "Copel enfrenta segundo pior evento climático já registrado"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*