COMO AS PERDAS DOEM… DOMINGOS CLÓVIS BONGIORNO

© 2013 Waldir Silva David

Ganhar e perder são verbos conjugados ao longo da vida. Quando se trata de objetos materiais, podemos perder, mas depois recuperar, pode-se trabalhar mais para se realizar os desejos. Coisas materiais são objetos substituíveis, encantam no momento, desencantam depois, e sempre se encanta, novamente, com aquilo que traduz um valor e um preço.

Porém, como conformar-se com a perda daquilo que não é um objeto, mas um ser humano cheio de qualidades, que instituiu uma família e nela sedimentou seu amor para sempre? Mas nós somos para sempre? Claro, porque as lembranças não morrem. É assim que vejo o DOMINGOS CLÓVIS BONGIORNO, caminhando, silenciosamente, pelos corredores da Prefeitura e no Gabinete do Prefeito, seu irmão, que contava com ele nas horas mais difíceis da administração. Sua especial característica era a humildade, o respeito, o falar baixo e a graça gentil de atender tão somente por boa vontade e profissionalismo. O Secretário de Integração Governamental da Prefeitura Municipal de Cianorte se foi definitivamente, num momento de descontração com a vida, num lugar inesperado, sem dizer adeus para ninguém, entregou-se Aquele que marcou a data de sua partida. Como um homem íntegro e competente se vai sem dizer adeus? Porque não sabemos para quando a partida está marcada no calendário de Deus. Mas a vida que viveu, exemplarmente, fica, claro que fica, e nunca mais se apaga. Deixou em prantos sua família: sua esposa Regina Célia, seus filhos Tiago, Gisele e Diego. Todos de sua família e em especial o Prefeito Bongiorno, que o considerava seu braço direito. Quanta dor ver uma pessoa da família ser retirado da nossa convivência diária. A ausência não se explica e não tem remédio.

Clóvis foi uma das pessoas mais dóceis que conheci. Carregava consigo a experiência de 30 anos de trabalho na Copel, seja como funcionário comum, seja como subgerente, seja como gerente da empresa exerceu sua profissão com dedicação, zelo e compromisso. Aposentado, eis que o destino leva seu irmão para ocupar a cadeira de Prefeito e desde 2013 esteve ao seu lado, como bom ouvinte e ótimo conselheiro. Fará falta, este seu irmão em seu gabinete Prefeito! Fará falta dolorosa este pai de família!

Seus entes queridos permanecem caminhando o mesmo atalho da vida e embora envolvidos de lembranças dolorosas o caminho continua a ser trilhado. É a regra da existência, não há imortalidade! Temos que desafiar o tempo, diante do “nunca mais”, do “para sempre” para conter as lágrimas que não deixarão de fluir; a falta do amado é inexplicável. O caminhar agora será de desafios e o tempo que é o algoz que leva nossos amores, também é nosso companheiro que trás a consolação. E renova nossa vida, que trás novos horizontes a serem trilhados. Pessoas boas não se perdem, se materializam nas lembranças dos exemplos generosos que deixou.

Assim, Domingos Clóvis Bongiorno você sempre será um nome eternamente, lembrado na história de nosso município. Este foi o seu tempo, e agora, como um pássaro de asas abertas voa para sempre nos condomínios de Deus!

Izaura Aparecida Tomaroli Varella

Cidadã Cianortense

Compartilhe: