Comissão estadual de segurança portuária faz balanço de 2019

A retomada da atuação da Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Cesportos), no Paraná, foi comemorada na reunião anual nesta terça-feira (12). Após um período de ostracismo, o colegiado formado por autoridades governamentais, da Portos do Paraná e das empresas portuárias voltou a ser atuante em 2019, aumentando o compromisso com os códigos internacionais de segurança vigentes.

“O retorno da fiscalização, a atuação da Cesportos, fez com que também os terminais e as instalações se movimentassem na melhoria da segurança portuária de cada um e do Porto como um todo, isso inclusive no cumprimento do código internacional, que é importantíssimo”, disse Alessandro Vivone, representante da Polícia Federal e coordenador da Cesportos.

Para ele, apesar da maior cobrança sobre as empresas, a aceitação acabou surpreendendo e melhorou o nível de segurança no Porto Organizado. “Tivemos melhorias fundamentais nas instalações físicas e também na mentalidade, tanto nos Supervisores de Segurança Portuária (SSP) dentro de suas áreas de atuação como as diretorias também começaram a entender a importância de atuação nessa área de segurança”, destacou.

De acordo com Ivan Machado, inspetor da Guarda Portuária dos portos paranaenses e representante da empresa pública na comissão, a troca de informações entre os terminais e a Cesportos tem sido muito importante para a segurança na área. “É importante ter essa integração e uma melhoria contínua na segurança dos Portos do Paraná e dos terminais”, disse.

Machado ainda informa que a empresa pública está de acordo com as normas regulamentares. “A administração está investindo em equipamento, em treinamento, na renovação de plano de segurança voltado sempre como objetivo a segurança do Porto e os reflexos disso são sempre bons”, acrescentou.

CERTIFICADO

Segundo o representante da Polícia Federal, o nível de segurança que se está planejando para o Porto de Paranaguá finalmente acompanha o nível do Porto, em termos de economia e desenvolvimento. “A segurança é fundamental também para os negócios. Ter um porto certificado significa poder atestar aos agentes e operadores do comércio exterior que o Porto é seguro e por aqui se pode operar”.

Seguindo a liderança que a autoridade portuária está assumindo e a atuação proativa da Comissão, nos Portos do Paraná, o desempenho dos terminais privados também tem se destacado. “As inspeções e auditorias são frequentes e estamos nos surpreendendo. Todos os terminais estão buscando as melhorias e investimentos em segurança, cumprindo os códigos e os planos próprios”, diz.

Coordenada pelo Departamento de Polícia Federal, também com participação da Capitania dos Portos, Receita Federal, Administrações Portuárias e Governo do Estado, a comissão é responsável por fiscalizar a implantação do Plano de Segurança Portuário, que é submetido à Comissão Nacional de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Conportos), com sede em Brasília.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: