Comerciante assaltado pede mais segurança em Cianorte

loterica (1)Foram quatro assaltos em torno de três meses. E a decepção por trabalhar e precisar gastar tanto dinheiro em segurança sem que isso evite os assaltos. O proprietário da Lotérica Avenida América, no Cianortinho, em Cianorte, não esconde a desagradável sensação da falta de segurança e reclama depois de ser assaltado novamente na semana passada. “Eu acho que essa situação é vergonhosa para a polícia”, disse o proprietário da lotérica, Elder Fabiano (imagem), no ramo há seis anos e que pediu para não aparecer na fotografia. “Já investi tanto em segurança e agradeço a Deus que não tenha acontecido nada aos meus funcionários”.

O comerciante estima que gaste em torno de R$ 4 mil mensalmente com aspectos de segurança. Como um serviço particular para retirada de malotes da lotérica, seguro da empresa, sistema de monitoramento, entre outros. Ele já contratou uma empresa para blindar toda a lotérica ao custo estimado de R$ 37 mil e ainda procura um segurança particular para trabalhar dentro do estabelecimento. “Grande parte do meu lucro está sendo gasto com segurança”, reclama o empresário. “E ainda temos um grande fluxo de funcionários que ficam com medo da violência dos assaltos e vão trabalhar em outros lugares”. Outra medida de segurança adotada foi fazer a retirada de dinheiro dos caixas em intervalos menores. Antes era de hora em hora e agora é a cada 15 minutos.

VIOLÊNCIA – O jornal Folha de Cianorte viu o arquivo de imagens dos assaltos anteriores. Um deles aconteceu numa irônica sexta-feira 13, de dezembro passado. Em outro, o ladrão chegou apontando a arma aos clientes em plena luz do meio dia e nem se preocupou em esconder o rosto. Fez o assalto com o capacete aberto, limpou os caixas e clientes e fugiu numa motocicleta que o aguardava com um parceiro do lado de fora. Em outro assalto o ladrão foi bem violento. Chegou já dando uma “voadora” num cliente na porta da lotérica e empurrou outro que caiu. Tudo isso a poucos metros do batalhão da Polícia Militar e sendo visto pelo dono, imobilizado, Elder Luciano no escritório pela tela do sistema de monitoramento.

O empresário disse que já falou com a polícia e fica na torcida para que não seja mais vítima de assaltos. A Polícia Militar trabalha num sistema implantado no ano passado com uma nova dinâmica de patrulhamento e em regiões mapeadas conforme a quantidade de ocorrências. Já a Polícia Civil tenta prender os criminosos em um trabalho de investigação.

Texto e fotos: Andye Iore / Folha de Cianorte

loterica (4)

Compartilhe: