Combate a dengue deve continuar mesmo com o frio

dengueAs temperaturas têm se mostrado baixas nos últimos dias e a previsão é de que nos próximos faça ainda mais frio. Contudo, mesmo com esse clima ameno, é preciso que a população continue atenta ao combate ao mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão da Dengue, Chikungunya e Zika Vírus, já que as chuvas nos últimos dias foram intensas.

Além disso, neste período de tempo frio é que o combate ao mosquito deve ser intensificado para que se diminua a possibilidade de novas epidemias quanto as temperaturas aumentarem. Esse combate deve ser feito, pois, ao contrário do que muitos imaginam, o frio não mata mosquitos, larvas e ovos.

No caso dos insetos adultos, ocorre uma diminuição na atividade e na capacidade reprodutiva dos mosquitos, ou seja, o inseto voa menos, ficando mais tempo parado, o que diminui o contato dele com o homem, o que acaba criando uma falsa sensação de segurança. Já a larva resiste um pouco melhor a temperaturas mais baixas, mas se desenvolve mais lentamente. E os ovos podem resistir mais de um ano em ambientes frios e secos, sendo inviabilizados apenas em caso de congelamento.

Desta forma, é essencial que as pessoas continuem com as vistorias semanais em suas casas e quintais para verificar se há possíveis focos em suas residências. Caso algum seja identificado, é necessário fazer uma limpeza mecânica com escova e, se possível, água sanitária.

AÇÕES – Como forma de combate a dengue, vários municípios da região tem realizado, constantemente, ações de conscientização junto a população. Em Rondon, por exemplo, foi realizada no mês de maio uma caminhada com a participação de escolas, entidades, membros da comunidade, equipe da Secretaria de Saúde e poder público.

O ato começou a ATI da Pista de Caminhada antiga e o percurso se deu por toda a Avenida Brasil (avenida principal do município) percorrendo toda a cidade e culminando em frente ao atual prédio da Prefeitura Municipal.

Os alunos das escolas do município, que criaram as frases e artes das faixas utilizadas no ato, foram premiados pela criatividade ao final da caminhada e receberam os cumprimentos do prefeito municipal Roberto Corredato que, em fala rápida, parabenizou todos pelo trabalho, elogiando as ações da Equipe de Endemias e Secretaria de Saúde no geral, pela excelência nos trabalhos e seus ótimos resultados.

“Eu tenho muito orgulho dos profissionais que compõem minha equipe da Secretaria de Saúde, por transformarem nosso Sistema de Saúde em um dos melhores, com ótimas notas nos índices de avaliação”, comemorou o prefeito.

CASOS – Nesta terça-feira (31) a Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (SESA) divulgou um novo boletim sobre a situação dos casos de Dengue no Paraná. Em todo o estado já foram confirmados, desde agosto de 2015, 49.301 casos no total, espalhados por 310 municípios do Paraná, nas 22 Regionais de Saúde, sendo que destes, 77 encontram-se em situação epidêmica.

A Secretaria também confirmou mais duas mortes por dengue no Estado. Uma em Paranaguá e outra em Ivaiporã. Ao todo, são 57 óbitos confirmados por dengue no Paraná. Os casos de zika já chegam a 314 confirmados, além de 72 casos de chikungunya.

Na área de abrangência da 13ª Regional de Saúde de Cianorte, já foram registrados 161 casos de Dengue, destes 124 são autóctones (quando o paciente adquire a doença no município em que reside) e 37 importados (quando a doença é adquirida fora do município de residência do paciente).

Através da incidência dos casos autóctones, a SESA classifica os municípios de acordo com a chance de epidemia ou não. Na região de Cianorte, apenas Tuneiras do Oeste encontra-se em situação epidêmica, já os municípios de Indianópolis, Rondon e Cidade Gaúcha apresentam alto índice de incidência, mas não se encontram em situação epidêmica. Da área de abrangência da 13ª Regional de Saúde apenas Guaporema e São Tomé não registraram casos autóctones da doença.

O boletim apresenta o número de casos confirmados de Zika e Chikungunya na região, sendo que até o momento foram registrados 1 caso autóctone (Tuneiras do Oeste) e 4 casos importados de Zika (3 em Japurá e 1 em Jussara) e 1 caso importado de chikungunya em Rondon.

Texto: Juliano Secolo / Foto: Assessoria PMR

DENGUE-TABELA2

Compartilhe: