Cianorte FC busca classificação para 3ª fase da Copa do Brasil

O Cianorte Futebol Clube tem várias motivações para a partida contra o Santa Cruz, que foi remarcada pela CBF para às 19h desta terça-feira (13), no Estádio Albino Turbay, pela segunda fase da Copa do Brasil. Uma delas é avançar para a terceira fase e igualar a melhor campanha na competição. Além disso, está em jogo a premiação de R$ 1,7 milhão.

Até agora, o Cianorte já garantiu R$ 1,2 milhão, sendo R$ 560 mil só pela participação no torneio. Além disso, o clube ganhou mais R$ 675 mil pela vitória sobre o Paraná Clube, por 1 a 0, e a consequente classificação para a segunda fase.

Caso consiga passar de fase, o Cianorte já traça como pretende utilizar o dinheiro. Um dos objetivos é aproveitar o valor para montar o time que vai disputar a Série D do Brasileiro no segundo semestre. Além disso, a ideia é melhorar a estrutura do CT do clube, que foi construído justamente pela premiação na campanha da Copa do Brasil de 2018, quando parou na terceira fase.

“É um jogo muito importante para nossas pretensões. Para sonharmos com Série B ou Série A de Brasileiro, temos que fazer nossa parte. E passa muito por dar uma melhor estrutura. Essa classificação vai ajudar a melhorar ainda mais nosso CT, nossa estrutura, e reforçar a receita do segundo semestre, que é muito menor, na Série D, montar um time cada vez mais competitivo e buscar o acesso, que é o principal objetivo do ano.” Afirmou Lucas Franzato, presidente do Cianorte, em entrevista ao Globo Esporte.

Se passar pelo Santa Cruz, o Cianorte poderá ter ainda um jogaço pela frente, já que os times brasileiros que estão na Libertadores entrarão na terceira fase da Copa do Brasil. Com isso, em caso de classificação, o Leão poderá enfrentar times como Flamengo, Palmeiras, São Paulo, Grêmio ou Inter, por exemplo.

QUARTA PARTICIPAÇÃO

Esta é a quarta participação do Cianorte na Copa do Brasil. Em 2005, o Leão passou pelo Cene-MS e depois pegou o Corinthians, que estreava o treinador argentino Daniel Passarela e tinha no elenco Carlos Alberto, Roger Flores e Tévez, entre outros. Comandado pelo técnico Caio Júnior, o Cianorte surpreendeu e venceu por 3 a 0 no jogo de ida, mas foi eliminado ao ser goleado por 5 a 1 na volta.

Em 2013, o Cianorte voltou a jogar a Copa do Brasil: eliminou o Grêmio Barueri e depois caiu diante do Atlético-GO. Na melhor campanha, em 2018, o Leão passou pelo ABC, em casa, e depois pelo Criciúma, nos pênaltis, fora. Na terceira fase, acabou derrotado pelo Internacional nos dois jogos, ambos por 2 a 0.

FORÇA MÁXIMA

Com o atacante Wilson Júnior de volta, o técnico João Burse conta com força máxima no Cianorte para a partida contra o Santa Cruz. O destaque é o atacante Pachu, ex-Botafogo, que tem quatro gols e é o artilheiro do Campeonato Paranaense. Um provável Cianorte é Bruno; Michel, Doma, Maurício e Rael ; Zé Vítor, Morelli e Calabrês; Grafite (Wilson Júnior), Pachu e Buba.

Cianorte e Santa Cruz se enfrentam nesta terça-feira (13), às 19h (de Brasília), no estádio Albino Turbay, pela segunda fase da Copa do Brasil. A CBF alterou duas vezes o horário da partida a pedido do Grupo Globo que tem direito a transmissão da partida. Será jogo único. Quem ganhar se classifica. Em caso de empate, a decisão será nos pênaltis.

AUXILIAR TÉCNICO

O Santa Cruz enfrentará o Cianorte tendo no comando o auxiliar técnico Roberto de Jesus, depois que o técnico João Brigatti deixou a equipe na manhã deste último domingo (11) após a derrota por um 1 a 0 diante do Botafogo-PB, que sacramentou a pior campanha do Santa Cruz na Copa do Nordeste. A demissão foi comunicada pelo clube nas redes sociais.

Além de João Brigatti, o executivo de futebol Nei Pandolfo também teve seu vínculo rompido com o Santa Cruz. Neste caso, de acordo com o comunicado ddivulgado pelo clube, o próprio dirigente solicitou a saída. Nos bastidores do clube, Nei já não tinha tanta participação nas decisões tomadas pelo Comitê Gestor de Futebol.

O treinador João Brigatti, de 57 anos, foi anunciado no dia 17 de fevereiro e deixou o Santa Cruz com apenas 35% de aproveitamento. Ao todo, foram 13 jogos, quatro vitórias, dois empates e sete derrotas. O profissional substituiu Marcelo Martelotte no comando do time, mas não conseguiu fazer com que os jogadores rendam dentro de campo.

Fontes: Globo Esporte e Esportes Diário de Pernambuco

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse