BB disponibiliza R$ 13,6 bilhões para a safra 2018/19 no Paraná

Reunião na Agência do Banco do Brasil em Cianorte explicou como funcionará o Plano Safra

Nesta quinta-feira (05), a Agência do Banco do Brasil em Cianorte realizou a apresentação do Plano Safra 2018/19. As novidades e linhas de créditos foram apresentadas pelo Assessor de Agronegócios Elcio Matzumoto, o Gerente Geral da Agência de Cianorte Sergio José Pagnan e o Gerente de Relacionamento Agro Marcelo Dias Alves.

Ao todo o Banco do Brasil vai destinar R$103 bilhões de recursos para a safra 2018/19. Desse total, R$ 11,5 bilhões serão destinados para as empresas da cadeia do agronegócio e R$ 91,5 bilhões em crédito rural aos produtores ecooperativas, dos quais R$ 72,8 bilhões são para operações de custeio e comercialização e R$ 18,7 bilhões para créditos de investimento agropecuário.

No estado do Paraná, o Banco do Brasil vai destinar R$ 13,6 bilhões de recursos para a safra 2018/19. Desse total, R$ 2,3 bilhões serão destinados para Agricultura Familiar, R$ 3,0 bilhões serão destinados para Médios Produtores e R$ 8,3 bilhões para Agricultura Empresarial. Do montante, R$ 11,7 bilhões serão direcionados para operações de custeio e comercialização e R$ 1,9 bilhão para créditos de investimento agropecuário.

Este ano, o Banco do Brasil apresentou como novidade a redução nas taxas de juros de até 1,5 ponto percentual e inovação em tecnologia que permite ao produtor fazer seu crédito na propriedade, sem ter que se deslocar para ir a uma agência.

PLANO SAFRA

Os recursos disponibilizados pelo Banco do Brasil representam 60% do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2018/2019 no País. Na safra 2018/19, os juros disponíveis para a Agricultura Familiar em custeio e investimentos vão variar de 2,5% a 4,6% ao ano e para os demais produtores vão variar de 6 a 7,5% ao ano.

Na safra anterior, os juros para custeio e investimentos variavam de 2,5% a 5,5% ao ano. A novidade é que os encargos financeiros com as taxas de juros serão pós-fixados, uma opção que está sendo dada ao produtor pela primeira vez.

As linhas de crédito disponíveis vão priorizar projetos de sustentabilidade e aumento de produtividade no campo. Outra novidade é a digitalização do crédito rural. Os produtores poderão fazer a simulação de financiamento para custeio e investimentos pelo celular. O objetivo é proporcionar comodidade e conforto ao produtor rural ao encaminhar sua proposta sem que precise se deslocar a uma agência. (Com informações da Assessoria de Imprensa do Banco do Brasil e da Agência Estadual de Notícias do Paraná)

Compartilhe: