APMI receberá verba para melhorias

apmi-jan01A Câmara de Vereadores de Cianorte aprovou na manhã de ontem (28) o repasse de R$ 268 mil em 2014 para a Associação de Proteção à Maternidade e à Infância (APMI) de Cianorte. A verba é de R$ 172 mil para pessoal e R$ 96 mil para despesas e foi muito bem recebida na entidade. “Vamos aplicar esse dinheiro no decorrer do ano em várias ações”, comemorou a coordenadora da APMI, Sara Rodrigues Heringer.

A APMI atende mensalmente entre 100 e 150 gestantes, sendo comum casos em situação de risco. O repasse deve ajudar a instituição a ampliar o atendimento, já que tem estrutura para trabalhar com aproximadamente 500 mulheres. Entre a ajuda que as gestantes recebem estão a compra de enxoval do bebê, fabricação de fraldas, alimentação nas reuniões semanais, visitas nas casas das gestantes, entre outras. Como a APMI atende somente mulheres carentes – com média de renda individual familiar em torno de R$ 200 – também há a compra de alimentos para as mulheres mais necessitadas.

PARCERIA – Há alguns procedimentos feitos em parceria com a Secretaria de Saúde. A associação também dispõe de profissionais como psicólogas e assistentes sociais. As reuniões acontecem na terça, quarta e quinta-feira, das 14h às 16h30. A APMI existe desde 1957, passou a atender somente gestantes a partir de 2010. A entidade fica na rua Santos, 312. O telefone para contato é: (44) 3019-5636.

RESSALVA – Durante a votação no Legislativo ontem somente o vereador Natal Reis votou contra (foto acima). Ele argumentou que não é contra o repasse de verbas e sim que precisa saber da situação da APMI. O questionamento é sobre uma recomendação do Ministério Público no ano passado sobre a instituição. Os vereadores Paulo Renato e João Alexandre também solicitaram mais informações, mas votaram a favor do projeto. Os vereadores aprovaram na maioria. Eles decidiram por elaborar um documento que será encaminhado ao MP solicitando informações atuais sobre a APMI e que o dinheiro só seja repassado se a associação estiver com sua situação regularizada. A coordenadora Sara Rodrigues garantiu que não há problemas na instituição e que eles estão aptos a receber o benefício.

Texto e foto: Andye Iore

Compartilhe: