APENAS UMA VEZ…

Quando começo a refletir sobre a passagem do homem por esta terra sem fim, tenho comigo a convicção absoluta, que do jeito que somos agora, só passaremos apenas uma vez por aqui. Não tem bis. Não temos outra vida terrestre para viver outra vez. Então nossa vida, esta que desfrutamos agora é a oportunidade que desponta para desfrutarmos dela apenas uma vez e nunca mais. Se tenho um propósito que me disponho a realizá-lo, algum sonho, algum desafio, algum objetivo a hora é agora.

Tinha um amigo meu que dizia: “aproveite a oportunidade, porque o cavalo encilhado só passa uma vez diante de você”. Se nos perpetuarmos em viver numa situação desconfortável ao coração, exige-se mudança enquanto é tempo, antes que o tempo passe e não mais volte. Fixar-se na rotina de nada desejar, de nada aspirar além daquilo que temos, conformados com a letargia de não ter utilidade, para que serve o homem e com que finalidade ele nasceu? Para se conformar com tudo que lhe passa diante dos olhos e achar as mudanças não depende da gente. As mudanças começam de dentro para fora e só começam quando nós queremos que elas aconteçam. Não estou falando da aspiração de ter riquezas, andar no carrão do ano, vestir aquela roupa de grife e desfrutar dos melhores restaurantes. A própria vida ensina que tudo é passageiro. E se nos conformamos em viver sem construir mudanças certamente, nosso coração vai ficando empedrado e não se comoverá mais. De que adiantaria uma Ferrari para mim se eu não fosse feliz? De que adiantaria me servir do restaurante e da comida mais cara se isto não me faz feliz?

Jamais ficar sentado no mesmo degrau da escada. Refletir se aquele erro que cometemos nos trouxe felicidades pode ser o caminho da mudança. E se nos trouxe desconforto e revoltas e tristezas e mágoas, porque insistir naquela atitude velha e retrógada? O homem é capaz de construir-se dia a dia, modificar-se, ficar melhor e ser mais tolerante quando ele se aceita e quando ele decide, internamente que quer a mudança.

Quanta arrogância vejo por aí, porque o dinheiro fala mais alto, quanta prepotência porque o cargo que ocupa o enaltece, e quão chata fica esta pessoa diante dos outros, que para ser feliz ela precisa estar por cima e fazer-se de importante. Quando o poder predomina o amor inexiste! Vejo por aí, pessoas inconformadas consigo próprio que não fazem mais do que criticar o modelo político, e nada fazem para mudar a situação através de atitudes reais. Se precisamos consertar o mundo que vivemos precisamos ir à luta, fazer algo, que mesmo que seja um grão de areia no deserto da utilidade, pelos menos se fez, pelo menos se tentou. Acho que a palavra é solidariedade, importar-se com o irmão do lado, ajudá-lo a buscar a plenitude de viver, para ser feliz definitivamente. Pois, só temos esta vez e somente esta oportunidade e ela chama-se agora!

Izaura Aparecida Tomaroli Varella

Advogada e Professora

Em 06 de agosto de 2017.

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse