Aneel autoriza reajustes de energia em todo o Brasil

energia

A Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica, aprovou na última sexta-feira (27) a Revisão Tarifária Extraordinária na tarifa de energia elétrica para distribuidoras de todo o Brasil. O aumento na conta de luz foi anunciado em reunião da Aneel, em Brasília.

O reajuste, válido a partir deste domingo, terá índices diferentes para cada Estado. O maior aumento foi no Rio Grande do Sul, com 39% para a AES Sul. No Paraná, a tarifa da Copel foi reajustada em 31% para o consumidor residencial, o que significa mais de 80% dos consumidores da Copel. Incluindo todos os segmentos tarifários, o reajuste médio da Copel é de 36,7%.

A composição de todo o reajuste definido pela Aneel para a Copel provém de repasse de custos do sistema nacional. A revisão extraordinária visa cobrir os custos que as concessionárias de energia do Brasil estão tendo com a compra de eletricidade mais cara. As distribuidoras, como a Copel, precisam comprar energia no sistema nacional para repassar aos consumidores. A falta de chuvas nos reservatórios brasileiros reduziu a produção das hidrelétricas e aumentou o uso das termelétricas, que é uma energia muito mais cara.

O reajuste da energia de Itaipu e do repasse de outros encargos federais igualmente estão contribuindo para o aumento do preço. Os índices são maiores no Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, que têm cota maior na Conta de Desenvolvimento Energético, um encargo federal pago pelas distribuidoras de energia subsidiar programa de consumidores de baixa renda, desenvolvimento energético e compra de combustível para as usinas térmicas do País. Estas regiões também têm aumento maior por causa do reajuste na tarifa de Itaipu, impactada ainda pela variação do dólar.

Texto: Priscila Paganotto/AE-PR / Imagem ilustrativa

Compartilhe:

Aneel autoriza reajustes de energia em todo o Brasil

energia

A Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica, aprovou na última sexta-feira (27) a Revisão Tarifária Extraordinária na tarifa de energia elétrica para distribuidoras de todo o Brasil. O aumento na conta de luz foi anunciado em reunião da Aneel, em Brasília.

O reajuste, válido a partir deste domingo, terá índices diferentes para cada Estado. O maior aumento foi no Rio Grande do Sul, com 39% para a AES Sul. No Paraná, a tarifa da Copel foi reajustada em 31% para o consumidor residencial, o que significa mais de 80% dos consumidores da Copel. Incluindo todos os segmentos tarifários, o reajuste médio da Copel é de 36,7%.

A composição de todo o reajuste definido pela Aneel para a Copel provém de repasse de custos do sistema nacional. A revisão extraordinária visa cobrir os custos que as concessionárias de energia do Brasil estão tendo com a compra de eletricidade mais cara. As distribuidoras, como a Copel, precisam comprar energia no sistema nacional para repassar aos consumidores. A falta de chuvas nos reservatórios brasileiros reduziu a produção das hidrelétricas e aumentou o uso das termelétricas, que é uma energia muito mais cara.

O reajuste da energia de Itaipu e do repasse de outros encargos federais igualmente estão contribuindo para o aumento do preço. Os índices são maiores no Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, que têm cota maior na Conta de Desenvolvimento Energético, um encargo federal pago pelas distribuidoras de energia subsidiar programa de consumidores de baixa renda, desenvolvimento energético e compra de combustível para as usinas térmicas do País. Estas regiões também têm aumento maior por causa do reajuste na tarifa de Itaipu, impactada ainda pela variação do dólar.

Texto: Priscila Paganotto/AE-PR / Imagem ilustrativa

Compartilhe: