A DIFÍCIL ARTE DE AGRADAR A TODOS

“Nem adianta tentar, já dizia o poeta…” Nunca, em tempo algum, se dirá: “consegui com meus projetos agradar a todos e todos aplaudiram e gostaram… e ninguém falou mal do que eu fiz!” Ledo engano! Só em sonhos para admitir a aprovação dos nossos atos de forma absoluta! Nada há de mais contraditório do que querer, plenamente, agradar alguém, quanto mais o povo de um modo geral. Se o administrador, aquele que move a cidade com seu talento, se reter no ato de vacinar, sempre haverá aquele que dirá que ainda não foi vacinado e cobrará datas. Se fizer asfalto, há quem venha reclamar dos buracos da chuva. Se embelezar a cidade com seus jardins, ainda se ouvirá aquele dizendo: “gastando dinheiro à toa, aquilo que é do povo”.

Nunca se estará pleno e satisfeito com nada que se fizer, aquele malfadado e inconsequente que espalha notícias negativas. Demonstra enfraquecimento do espírito e sempre se deve observar de onde partiu o desaforo. Há que se passar por cima e somente almas nobres conseguem fazer isto, porque a primeira reação de um homem irado é devolver o desacato e guardar o ódio no coração. Não devemos passar nossos dias, vivendo com ódios e mágoas. A vida é tão rápida que passa feito um foguete e não volta mais. Felizes aqueles que Deus deu oportunidade para viverem muito e colher seus próprios frutos. Felizes são aqueles que se despedem da inveja, pois, quanto mais se despedem de coisas ruins, menos envelhecido se torna o nosso coração. Envelhecer é enfrentar o desafeto, devolver a dilapidação recebida na mesma moeda. Nem todos tem o dom de perdoar, talvez, perdoar a palavra seja muito pesado… Digamos, de deixar de lado aquilo que nos incomodou. Certo é tocar o barco, mesmo que as água estejam escuras e turbulentas. Quando se realiza atos que saem, naturalmente, da vontade de ajudar o outro, até a vaidade de um dia ser reconhecido se apaga. Lógico que ninguém quer passar despercebido diante das obras que constrói, mas, estas obras são tão somente suas e não se leva estas conquistas para aquela quadra final da vida, debaixo da terra. Portanto, aceitar a crítica da forma que vem, avaliar a crítica, descartá-la se necessário, ou repensar a razão de ter sido feita, pode ser um escape somente para pessoas nobres… Deus não nos colocou na terra ou no comando de algo grandioso para sermos felizes e saciar o nosso ego, mas, Deus nos construiu para sermos úteis, levar uma vida tranquila e viver uma vida fecunda.

Aproveitemos o nosso tempo, porque Heráclito já dizia: “Ninguém jamais se banhará duas vezes na mesma corrente de água”!

Izaura Varella

Compartilhe:
Banner Edplants, Acesse