APÓS CHUVAS, ESTADO SEGUE APOIANDO OS MUNICÍPIOS; RODOVIAS AINDA TÊM BLOQUEIOS 

As chuvas que caíram no final de semana e ao longo da última semana deixaram 3.035 casas danificadas no Paraná, de acordo com o último boletim da Defesa Civil. São 54 municípios atingidos, 16.081 pessoas afetadas, 1.270 desalojados (na casa de amigos ou parentes) e 311 desabrigados (em abrigos públicos).

Os locais mais atingidos foram Rebouças (3.013 pessoas afetadas), Jardim Alegre (2.800), São Jorge d’Oeste (1.600), Cascavel (1.350), Peabiru (1.200), Mangueirinha (822), Curitiba (700), Paulo Frontin (600), Pinhão (599), Paula Freitas (520), União da Vitória (328) e Sulina (300). A região central, Sul, Centro-Sul e Campos Gerais registraram os maiores estragos no final de semana, enquanto o Oeste, que chegou a registrar um tornado, teve os maiores registros na semana passada.

As equipes locais da Defesa Civil, juntamente com o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil Estadual, estão atendendo a população, resgatando as pessoas em maior risco e levando para locais seguros. Os alertas da população, enviados desde a segunda-feira, assim como a mobilização junto às redes sociais e outros canais de comunicação, auxiliaram para que a informação sobre as chuvas chegassem para todos.

As localidades mais afetadas já receberam apoio do Estado nos primeiros momentos da emergência, primeiramente com a distribuição emergencial de lonas e outros socorros públicos, e posteriormente com materiais de higiene, dormitório e telhas. Já foram distribuídas mais de 18 mil telhas, além de 650 kits dormitório, 584 kits higiene e 484 cestas básicas.

Até o momento, Paula Freitas, Mangueirinha, Rio Negro, Pinhão e São Jorge do Oeste já decretaram situação de emergência. O decreto de São Jorge d’Oeste já está homologado pelo Estado e o de Mangueirinha está em processo de homologação. Paula Freitas e Rio Negro estão inserindo a documentação para pedir a homologação da situação de emergência. Além disso, Pinhão, Paulo Frontin e Cascavel estão dando prosseguimento nos documentos iniciais.

Diversas cidades paranaenses foram fortemente afetadas pelas chuvas neste domingo. São Mateus do Sul foi a cidade do Paraná com o maior índice de chuva acumulada, segundo o Simepar, com 103,4 mm. Na sequência aparecem as cidades de Loanda, com 100 mm, Inácio Martins (98,8 mm), Irati (97 mm), Campo Mourão (87,8 mm), Guarapuava – Entre Rios (87,8 mm), Paranavaí (86,6 mm), Guarapuava (86,4 mm), Cianorte (80,4 mm) e Umuarama (78,2 mm).

RODOVIAS – As chuvas causaram estragos em rodovias estaduais no final de semana. Em Jaguariaíva houve o rompimento do pavimento da PR-151 na altura do km 214. O tráfego de veículos está sendo desviado por rotas alternativas. Já a PR-170, entre Guarapuava e o distrito de Entre Rios, registrou um escorregamento de terra em um dos acostamentos. O tráfego permanece aberto no local, mas em apenas uma faixa.

Outros dois pontos chegaram a registrar alagamentos. A PR-364 foi interditada temporariamente na altura do km 100, entre Irati e Inácio Martins, devido ao transbordo do Rio Preto, que cobriu ambas as pistas, mas a pista já foi liberada. Em Pitanga, a PRC-466 (ligação com Guarapuava e Campo Mourão) e a PR-239 (ligação com Mato Rico) foram atingidas e ainda seguem com bastante água.

Na Graciosa, segue a interdição para circulação de tráfego durante a noite. Durante o dia, o tráfego está liberado, com orientação das equipes que trabalham no local e sistema pare-e-siga na altura das obras de recuperação das chuvas do último verão. Não houve novos deslizamentos. As informações sobre a rodovia podem ser acompanhadas neste perfil no Twitter.

Em União da Vitória, a BR-476 cedeu na altura do km 356. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) já está analisando o trecho. Na Serra do Mar, a BR-277 chegou a operar em uma pista ao longo do final de semana de maneira preventiva, entre os km 39 e 42.

COPEL – Equipes da Copel continuam trabalhando para regularizar a rede após os temporais. Com fortes rajadas de ventos e grande incidência de descargas atmosféricas, as chuvas provocaram estragos em diversos municípios. Nesta segunda-feira, 32 mil consumidores estão sem energia, de acordo com a companhia. Os municípios mais afetados são Maringá e Sarandi. Foram registrados 163 postes quebrados na região Noroeste. 

Em Maringá, são mais de 700 chamados emergenciais registrados para atendimento. O restante da região Noroeste do Paraná tem ainda 300 ocorrências para atendimento, sobretudo nas áreas rurais do município, com um volume menor de domicílios atingidos em cada circuito. Cada serviço representa um ponto diferente da rede que precisará ser verificado e reparado pelas equipes.

Na região Norte, os trabalhos se concentram principalmente em cidades do Vale do Ivaí, com 243 ocorrências, e do Norte Pioneiro, onde há 107 chamados para atendimento na região de Ibaiti e 66 na região de Santo Antônio da Platina. 

A comunicação sobre falta de luz pode ser feita pelo telefone, mas também por meio do aplicativo para celulares, pelo site www.copel.com e pelo número de WhatsApp 41 3013-8973. Sem internet, o aviso ainda pode ser enviado à Copel por meio de mensagem de texto (SMS) para o número 28593, escrevendo as letras “SL”, de “sem luz”, mais o número da unidade consumidora, que se encontra destacada no cabeçalho da conta de luz.

SANEPAR – Em razão das chuvas, a Sanepar informa que podem sofrer com falta de água moradores de Campo Mourão, Ortigueira, Santana do Itararé, Jardim Alegre, Borrazópolis e Colombo. A Sanepar pede a colaboração de todos e orienta para que a população utilize a água com racionalidade, evitando desperdícios. A previsão é de normalização ao longo do dia.

Fonte: AEN

Banner Edplants, Acesse